Recuperação

Dersa inicia reforma em atracadouro na Travessia Santos/Guarujá

Há mais de um ano, acidente danificou a estrutura do local, do lado de Guarujá. A previsão é que os trabalhos durem um mês

15 de maio de 2019 - 19:24

Da Redação

Compartilhe

A Dersa iniciou nesta semana a reforma estrutural da gaveta de atracação que fica ao lado do Centro de Controle Operacional – CCO, na margem do Guarujá.

O local foi danificado no acidente causado por um navio que entrava no canal do Porto. Em 7 de maio de 2018, embarcação colidiu com três balsas da Travessia Santos/Guarujá.

As embarcações foram reformadas e operam normalmente no sistema. No entanto, o impacto causou avarias também no atracadouro, que agora passa pelos trabalhos de recuperação.

A reforma deve durar pelo menos 30 dias. Neste período, portanto, a gaveta de atracação ficará interditada para embarques e desembarques.

Dessa forma, os usuários deverão utilizar as outras duas gavetas à disposição.

Os custos da reforma são de responsabilidade da empresa do navio, assim como ocorreu com os reparos das embarcações envolvidas.

Defensas

Além da recuperação da estrutura de concreto, os trabalhos incluem a substituição das duas defensas marítimas.

Esses equipamentos de borracha, que medem 3,5m e pesam quase quatro toneladas, são de extrema importância.

São eles que proporcionam a segurança adequada entre as balsas e o concreto da margem, amortecendo o impacto da embarcação no momento da atracação.

Esta operação é complexa e conta com auxílio de um guindaste de 45 toneladas para içar as peças que são fixadas à margem por 14 conjuntos grandes de parafusos e porcas.

Todo o bolsão de veículos do lado do Guarujá está devidamente sinalizado. Dessa forma, os trabalhos não interferem na operação da Travessia.

LEIA TAMBÉM: