Desafios contra a violência são debatidos na Semana da Juventude | Boqnews
Foto: Rogério Bomfim/PMS/Secor

Santos

13 DE AGOSTO DE 2014

Desafios contra a violência são debatidos na Semana da Juventude

A 6° Semana Municipal da Juventude segue até domingo (17) e tem como tema Os desafios para uma sociedade sem violência

Por: PMS
Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

Alteração da maioridade penal, mais investimentos em políticas públicas de prevenção e promoção de atividades esportivas, culturais e de cidadania aos jovens.Estas foram algumas das propostas debatidas na noite desta segunda-feira (11) na abertura da 6° Semana Municipal da Juventude, na Câmara Municipal. A programação desenvolvida pelo Conselho Municipal da Juventude e prefeitura segue até domingo (17) e tem como tema ‘Os desafios para uma sociedade sem violência”.

“A nossa proposta é que o menor que cometa crime de morte seja avaliado psicologicamente e, a partir daí, julgado criminalmente”, defende Wilson Araújo, pai da menina Emily, assassinada há sete anos em São Vicente, após assalto cometido por um adolescente de 14 anos. Wilson coletou 24 mil assinaturas para que seja realizado um plebiscito sobre o tema. Mais detalhes: www.umapaixaopelavida.com.br.

“A gente tem hoje adolescentes em condição de vulnerabilidade e sem proteção. A alteração da lei não seria a solução para esta problemática”, pondera a advogada e presidente do Conselho de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra, Tatiana Evangelista.

Segundo o coordenador da Juventude de Santos, Wellington Araújo, a violência atinge os jovens tanto física quanto psicologicamente, como casos de agressões no lar, homofobia, bullying e outros crimes. “Os jovens de 15 a 29 anos estão na faixa etária que mais comete e sofre a violência. Estamos provocando estes debates para que a gente promova a mudança cultural”, explica ele.

Justiça Restaurativa
Para ajudar a combater a violência dentro das escolas, a prefeitura está em fase final de implementação do serviço de Justiça Restaurativa nas unidades municipais de ensino.

“Desta forma vamos tratar vítima e ofensor numa esfera administrativa, desjudicializando casos da Vara da Infância e da Juventude que podem ser bem resolvidos no núcleo escolar”, destaca o secretário municipal de Defesa da Cidadania, Carlos Mota.

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.