Desativação dos radares e greve na CET podem criar perigo no trânsito | Boqnews
Foto: Nando Santos

Santos

24 DE ABRIL DE 2022

Desativação dos radares e greve na CET podem criar perigo no trânsito

Ainda não há previsão do funcionamento de radares

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

Quem prestou atenção no trânsito em Santos nos últimos dias notou que os radares da cidade foram desativados desde antes do feriado de Páscoa.

A Prefeitura informou que o contrato de locação de radares foi encerrado no último domingo (17).

Assim, os equipamentos (25 locais) foram retirados ao longo da semana passada, como na Av. Afonso Pena, uma das principais vias do município. O Poder Público Municipal enfatizou que a sinalização de solo, nos trechos de radares, mesmo sem o funcionamento dos equipamentos (seja por qualquer motivo), segue valendo.

Entretanto, é importante frisar que nos últimos dias, funcionários da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) entraram em greve. A categoria cobra um reajuste salarial. Dessa forma, a fiscalização no trânsito não seguiu os padrões diários, ou seja, sem radares nem agentes de trânsito. Assim, as infrações não resultaram em punição, afetando diretamente na arrecadação da empresa.

A CET-Santos destaca que segue em negociação com o sindicato da categoria. Até o momento, quatro reuniões foram feitas, quando a Companhia apresentou propostas, tendo em vista a conciliação das expectativas dos funcionários com as condições financeiras da empresa.
Na última quarta feira, a Justiça do Trabalho determinou que 50% do efetivo da CET Santos permaneça em atividade.

Sem previsão

Questionada sobre a volta dos radares, a Prefeitura informou que a empresa vencedora da nova licitação – Splice Indústria, Comércio e Serviços – já efetuou os testes previstos em contrato, sendo o serviço aprovado e os equipamentos já estão sendo instalados. A licitação, porém, foi publicada no Diário Oficial apenas na terça (19).

Dessa forma, o processo licitatório prevê o mesmo número de radares (25). Importante frisar que qualquer radar instalado, antes do seu funcionamento, passa por aferição realizada pelo Inmetro até a liberação do seu funcionamento. A CET Santos informou que comunicará a população na medida em que os equipamentos forem reativados para fiscalização. Não há previsão de quando isso ocorrerá.

No ano passado, a CET arrecadou R$ 46,2 milhões em multas, a maioria decorrente dos radares. Isso equivale a uma média diária de R$ 126,7 mil. Com a greve dos funcionários da empresa, a queda na arrecadação será inevitável, obrigando aumento no repasse de valores pela prefeitura. A Câmara autorizou R$ 30 milhões de repasse ao longo deste ano.

Queda de mortes

Os radares têm tido um papel essencial na queda do número de mortes no trânsito em Santos. Levando em conta apenas as vias municipais, ou seja, sem contar rodovias que estão na cidade, Santos contabilizou três mortes no trânsito no primeiro trimestre de 2022.

Para se ter uma ideia, no ano passado foram contabilizadas 19 mortes nas vias municipais de Santos, já em 2020, o número foi ainda pior: 34 pessoas perderam a vida no trânsito. Em 2019, último ano sem a pandemia da Covid-19, o número de vítimas fatais chegou a 27. Os dados são da Infosiga (confira no quadro acima).

Fatores

O professor universitário e especialista em trânsito e mobilidade urbana, Rafael Pedrosa salienta que a queda no número de acidentes em Santos tem como fatores, o pico atingido nos anos anteriores e o aumento da fiscalização nas vias, que foi motivado por esse recorde no número de acidentes.

“A somatória destes fatores nos levou a este cenário”, detalhou. Rafael Pedrosa enfatizou que no período de pandemia os acidentes ainda tiveram um número alto, haja visto que com mais espaços nas vias, muitas pessoas não respeitaram a sinalização de trânsito.

Em relação a desativação dos radares, Pedrosa citou que o não funcionamento pode causar um impacto nas próximas semanas. “Quando a notícia chega em grande parte da população, o risco mora quando as pessoas se sentirem mais à vontade para fazer manobras, ultrapassar o limite de velocidade e não respeitar a sinalização. É preciso que os motoristas tenham consciência no trânsito”, explicou.

Medidas

Com a desativação dos radares, a preocupação da fiscalização tende a aumentar. Questionado sobre quais medidas deveriam ser tomadas para tentar manter a fiscalização, Pedrosa cita que a CET deveria ter feito uma campanha visual de conscientização de radares desativados, haja visto que este período já era previsto.

“Essa seria uma medida muito importante que deveria ter sido tomada”, citou. Além disso, o professor universitário explicou que as vias arteriais devem contar com uma fiscalização maior, sobretudo nos cruzamentos. “O trabalho dos fiscais de trânsito é fundamental para inibir ações imprudentes”, finalizou.

Ações

Nos últimos anos, a Prefeitura de Santos tem realizado ações de conscientização no trânsito. Uma das mais importantes é a Faixa Viva.

Segundo pesquisa da CET. 76% dos pedestres utilizam a faixa específica para realizar a travessia com segurança.

O levantamento envolveu 2.772 pessoas na orla da praia no início do ano. Outra ação foi uma campanha de conscientização para os motociclistas que envolveu a Prefeitura de Santos e Polícia Militar. O objetivo foi levar os condutores a refletir sobre como conduzem seus veículos e reforçar práticas de direção segura.

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.