Dia das mães

Do desafio em conciliar carreira e família, cresce o empreendedorismo materno

Um dos principais dilemas quando nasce um filho é como conciliar a vida profissional com esta nova demanda pessoal. Para muitas, o empreendedorismo se torna opção

11 de maio de 2019 - 10:00

Da Redação

Compartilhe

No dia em que nasce o bebê, nasce também uma mãe e, tão importante quanto, uma nova mulher. Deste instante em diante, filho e mãe começam realmente a se conhecer.

Leva um tempo para que o bebê se perceba como um indivíduo único. Para a mulher, a mudança é tensa, profunda e os questionamentos são intermináveis. Um dos principais dilemas é como conciliar a vida profissional com esta nova demanda pessoal, de um amor incondicional?

Neste instante, muitas vezes nasce também uma empreendedora com motivações diversas. Algumas não suportam pensar na rotina profissional anterior com um bebê que necessita de cuidados, querem mais flexibilidade, tempo para acompanhar esta fase que – como todos dizem – passa rápido demais.

Outras se veem numa real necessidade de se reinventar. Ainda hoje, cerca de 48% das mulheres após a licença-maternidade são demitidas, segundo pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Seja qual for o primeiro real empurrão, o Sebrae já aponta que considerados somente os empreendimentos recentes, a proporção entre mulheres e homens liderando os negócios é de igualdade. Hoje, as mulheres já lideram 24 milhões de empreendimentos no País e a maioria opta por este caminho por conta da maternidade.

E neste cenário surgem novas ideias, negócios e muitas iniciativas que ajudam estas novas mulheres a empreender. E como contam as mães nesta Reportagem, não há nada de conto de fadas neste universo.

Fotos de crianças no colo, enquanto trabalham no computador, só funcionam para postar nas redes sociais, pois a realidade é bem diferente. E em Santos, não faltam histórias de mulheres que optaram por este caminho e hoje são inspirações para muita gente.

Flávia Saad
(Juicy Santos)
A jornalista é destaque hoje em dia quando se fala em comunicação na Cidade. Junto com a sócia Ludmilla está a frente do Juicy Santos. A ideia nasceu antes da maternidade, mas foi só quando descobriu a gravidez de Filipa que decidiu abrir mão de trabalhar em regime CLT para focar apenas no negócio.

Conciliava os posts no Juicy com o trabalho em uma agência e a gravidez lhe deu a coragem de empreender. Hoje, o negócio não só está consolidado, mas também em expansão. Recentemente lançaram uma marca própria de camisetas.

“Mas não é fácil. Apesar da flexibilidade de horários, trabalhamos muito mais quando empreendemos e assim como a maternidade é solitária, o empreendedorismo também pode ser. No começo fazia 100% home office. Hoje vou ao escritório cerca de três vezes por semana”, conta. Para Flávia, que hoje também é mentora do B2mamy, ajudando outras mães a empreender, é uma decisão que tem que ser tomada com muita seriedade, pensando em plano de negócios, cursos, capacitações.

“E o que é empreender? É solucionar uma dor, um problema. A gente sentia a necessidade de movimentar a Cidade com notícias. Cada uma pode encontrar o que solucionar, sem necessariamente ter que sair da área onde já atua”.

 

Dani Junco
(B2Mamy Aceleradora)
De Santos, Dani que já tinha uma agência antes da gravidez de seu filho Lucas, hoje com 4 anos, quando decidiu postar uma dor no facebook: Como conciliar o trabalho com a maternidade? Mas alguém está sentindo esta dor? Vamos tomar um café? “Para meu espanto, surgiram 80 mulheres para este meu questionamento e pude ver o quanto esta demanda era grande”.

Nasceu assim a B2Mamy, que atua em São Paulo, tendo sido selecionada pelo Google para participar do seu espaço de coworking, o Google For Startups Campus. Hoje também ocorrem encontros em Santos. É uma aceleradora que prepara e conecta mães empreendedoras à inovação, criando uma rede de apoio, mas principalmente, de conhecimento.

De acordo com a empreendedora, o projeto iniciado em 2016 já movimentou cerca de R$ 2 milhões e acelerou 100 empresas. O próximo passo é conseguir inaugurar um espaço de convivência, relacionamentos e networking entre as mães empreendedoras e para isso está com uma campanha de financiamento coletivo no kickante.

LEIA TAMBÉM: