Donos de cachorros investem em ‘dog walkers’ | Boqnews
Foto: Cris Challoub

Vida animal

03 DE DEZEMBRO DE 2015

Donos de cachorros investem em ‘dog walkers’

Passear, correr e brincar são atividades que devem estar presentes na vida do animal de estimação

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

cachorrosAssim como nós, os animais de estimação também precisam manter o corpo ativo. Passear na rua, correr e brincar de bolinha são algumas das atividades que melhoram a qualidade de vida deles — principalmente dos cachorros. Entretanto, com a correria do dia-a-dia fica ainda difícil dedicar mais tempo às necessidades do melhor amigo. Por este motivo, muitas pessoas investem em dog walkers, ou seja, pessoas que são contratadas para passear com os animais.

A prática já é bem comum nos Estados Unidos, por exemplo, mas os brasileiros também começam a se interessar. De acordo com o gerente Nacional de Operações, da Maria Brasileira, João Pedro F. Lucio, existe um perfil de pessoas que podem trabalhar como passeadores de cães. “Selecionamos profissionais que acima de tudo gostem de animais e do trabalho. Não podemos simplesmente contratar apenas para passear com o cachorro, mas alguém que tenha empatia e amor”, argumenta.

Outro ponto que os profissionais prestam a atenção é no horário do passeio. “Se a pessoa disser que só pode fornecer o serviço das 14 às 16 horas, não contratamos. A partir deste momento, o candidato já demontra que não conhece sobre os melhores horários de passeio”, conta o gerente. Este horário não é recomendado por médicos veterinários pela alta temperatura, que pode ser prejudicial à saúde do cão.

Muitos confundem o serviço de passeador com o de adestrador, porém são atividades completamente diferentes. A função do dog walker é simplesmente passear, entreter e estar preparado para lidar com problemas de rua, como a presença de cachorros maiores e as necessidades individuais de cada animal. Já o adestrador tem como princípio ensinar e educar o cachorro tanto dentro quantro fora de casa.

Viajando
O primeiro questionamento dos donos de animais quando planejam uma viagem é: onde deixarei meu cachorro?. Inclusive é na época de férias que aumenta o índice de abandono em rodovias e nas ruas — o abandono, assim como maus-tratos, por lei, é crime.

Existem três opções para oferecer o melhor ao grande amigo: contratar um dog sitter (babá de cachorro), deixá-lo em um hotel canino ou levá-lo na viagem.

Na primeira opção, o profissional vai até a residência do tutor para cuidar, alimentar, limpar o local onde o cachorro faz suas necessidades e brincar com ele. Já na segunda opção, o bicho fica em uma espécie de hotel onde recebe os mesmos serviços, porém longe do doce lar.

Antes de contratar os serviços, é indispensável pesquisar e conhecer os profissionais responsáveis

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.