Fiscalização eletrônica por radar é ampliada em Santos | Boqnews
Foto: Nando Santos

Trânsito

18 DE NOVEMBRO DE 2022

Fiscalização eletrônica por radar é ampliada em Santos

Santos prossegue com a instalação de novos radares, dos 26 previstos 22 já estão operando

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

Notícias falsas que circularam durante a semana nas redes sociais relatando a existência de radares em pontos da Cidade motivaram dúvidas de motoristas, especialmente a que indicava a existência de um equipamento no Túnel Rubens Ferreira Martins, na pista sentido Centro-Praia. Na verdade, está em curso a instalação de novos radares pela nova empresa concessionária do serviço.

O monitoramento foi iniciado em 12 pontos da Cidade, locais em que ocorriam o maior número de acidentes de trânsito, como, por exemplo, o localizado na Avenida Martins Fontes, principal via de acesso ao Município.

Pontos

Segundo informações da CET, os pontos onde os radares foram instalados estão sinalizados com placas de regulamentação de velocidade e educativa.
Portanto, os últimos equipamentos foram acionados a partir de junho desse ano, após aferição do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).
Até o momento, 22 locais estão fiscalizados eletronicamente, de um total de 26 previstos em contrato.

Faltam o funcionamento de dois radares no cruzamento das avenidas Presidente Wilson x Canal 1 (em obras); Viaduto Paulo Gomes Barbosa. Outros dois, acertados em contrato, ainda estão em fase de estudos sobre a instalação.

Além disso, houve a reativação de alguns trechos, como o da Av. Pref. Antônio Manoel de Carvalho, na descida do Marapé.
Também no trecho da Av. Dr. Nilo Peçanha, próximo ao cruzamento com a Av. Pref. Antônio Manoel de Carvalho.
Assim também, como na Av. Afonso Pena, números 170/176, nas proximidades da Praça Palmares.

Lembranças

Em 17 de abril desse ano, a Prefeitura de Santos informou o encerramento do contrato de locação de radares. Portanto, naquele período, 25 radares foram retirados.
Com esse problema, a empresa deixou de arrecadar cerca de R$ 55 mil em multas comparado com o valor total arrecadado no ano passado (R$ 46,239 milhões).
Esse acontecimento teve um forte impacto, pois cerca de 42% da receita da empresa provém das multas. Portanto, em apenas um mês sem os equipamentos, a queda na arrecadação superou R$ 1,6 milhão.
O principal motivo do atraso na reposição dos radares, de acordo com o presidente da Companhia de Engenharia e Tráfego (CET), Antonio Carlos Gonçalves, foi a desclassificação da empresa inicialmente vencedora da concorrência, por não atender a contento as exigências do edital de contratação. Dessa forma, a CET habilitou a segunda colocada na licitação, a Splice Indústria, Comércio e Serviços, tornando assim o processo mais moroso.

Acidentes

Em 2001, quando ainda não existia o sistema de fiscalização eletrônica, Santos registrou 65 mortes para uma frota de 217 mil veículos, uma média de 29,9 mortes para cada 100 mil veículos.
Todavia, com a implantação dos radares, em 2002, os números foram reduzidos de forma significativa.
No ano passado, o número total de mortes foi de 16, para uma frota que vem crescendo anualmente e fechou o ano com 279 mil veículos. A proporção passou a ser de 5,7 vítimas fatais para cada 100 mil veículos cadastrados.
De acordo com dados da CET sobre o número total de acidentes de trânsitos, em 2013, ocorreram 8.551 registros, já em 2021, apenas 2.064, o que retrata uma diferença de 6.487, ou seja, 75% a menos.

Multas

Além do melhor fluxo e segurança no trânsito, recebem multas os condutores que violarem a lei. Sendo assim, ultrapassar em até 20% da velocidade permitida em uma via é infração média, multa de R$ 130,16 e quatro pontos na CNH.
Agora, se o condutor passar de 20% a 50% da velocidade, é multa grave de R$ 195,23 e cinco pontos na carteira. Além disso, conduzir acima de 50% do limite, é multa gravíssima, no valor de R$ 880,41, além da suspensão do direito de dirigir.
O avanço de sinal vermelho adiciona sete pontos na carteira e multa de R$ 293,47. A parada na faixa de pedestres e a conversão proibida implicam em cinco pontos na carteira e multa de R$ 195,23.

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.