Refugiados

Fundada há três anos, organização na região auxilia haitianos refugiados

Organização dos Haitianos que Vivem no Brasil (OHVB) visa auxiliar refugiados e clandestinos haitianos a conquistar e construir novas oportunidades

24 de junho de 2017 - 10:45

Da Redação

Compartilhe

“A minha razão de viver é poder ajudar os outros. O mundo precisa de mais carinho e amor”, diz Martineau Cherubin, fundador da Organização dos Haitianos que Vivem no Brasil (OHVB). De fato, se mais pessoas no planeta tivessem a mesma vontade de fazer o bem como Martineau, não existiriam tantas perseguições, guerras e conflitos. Mais de 65,6 milhões de pessoas (dados de 2016) não teriam que abandonar seus países de origem para pedir refúgio e recomeçar em outro lugar com idioma e hábitos diferentes.

O fundador da Organização dos Haitianos que Vivem no Brasil (OHVB), Martineau Cherubin.

Nascido no Haiti, Martineau não é refugiado, mas se mudou para o Brasil sozinho, por um motivo nobre: auxiliar aqueles que são. “Vim em 2009 como turista. Nesta época, eu estava trabalhando nas Organização das Nações Unidas. Em 2013, voltei como imigrante, vi toda a situação que os refugiados estavam passando e percebi que poderia fazer algo”, relembra.

Como todo início, dar o primeiro passo é a fase mais complexa e ele percebeu que sozinho poderia fazer pouco, afinal o número de pessoas que pedem refúgio para o Brasil chega a quase 10 mil. “Comecei a falar sobre a ideia da ONG e percebi que poucos realmente gostariam de ajudar, muitos só queriam se promover. Chorei com essa situação”, conta.

Em três anos de atuação na Baixada Santista, a OHVB já conseguiu ajudar muitos refugiados, clandestinos e pessoas em situação de rua. “Quando eles chegam ao Brasil, uma das dificuldades é o idioma. Damos aulas de português para que a pessoa consiga arranjar um emprego e recomeçar”, explica.

“Lembro de dois homens que ajudamos. Eles precisavam de um emprego, então pegamos roupas que recebemos, levamos os dois para cortar os cabelos… Ficaram bem bonitos para a entrevista e conseguiram o trabalho”, recorda, orgulhoso, com um sorriso de orelha a orelha.

Aula de idiomas

Para ajudar nos trabalhos da organização, voluntários dão aulas de inglês, francês e português de segunda a sábado por um valor simbólico, mas Martineau faz questão de salientar que quem não pode contribuir nada paga.

As aulas acontecem na ONG, localizada à Rua Bittencourt nº133, conjunto 14. Informações pelo telefone 3034-5535.

Campanha do agasalho

Para aquecer os 285 refugiados abrigados em São Paulo, a OHVB está arrecadando agasalhos até a próxima sexta (30), na ONG e em outros três endereços: Rua Amador Bueno, 267, sala 107; Avenida Antônio Rodrigues, 88, apartamento 504, em São Vicente, e Avenida São Francisco 276/278.

LEIA TAMBÉM: