Plano SP

Governo do Estado reclassifica regiões paulistas nesta sexta (15)

Em razão do aumento de óbitos, falta de leitos e expansão de infectados, algumas regiões serão rebaixadas pelo Plano SP. Decisão será nesta sexta (15)

14 de janeiro de 2021 - 14:30

Da Redação

Compartilhe

O Governo do Estado anuncia nesta sexta (13) uma nova reclassificação do Plano SP, tendo como base estudos realizados pelo Centro de Contingência da Covid.

Algumas regiões serão rebaixadas de fase, como já adiantou o coordenador executivo do centro de contingência do estado de São Paulo, João Gabardo.

Quatro regiões estão na fase laranja (Marília, Presidente Prudente, Sorocaba e Registro) e as demais na amarela.

Nas últimas 24 horas, SP registrou 15.227 novos casos de Covid, com 323 óbitos.

A média móvel está hoje acima de dez mil casos diários, com taxa de óbitos acima de 200.

A média de internações segue superior a 1600 internações diárias.

Números estes semelhantes aos do pico da pandemia, em agosto.

A ocupação de leitos de UTI no estado atingiu hoje 66,3%. O total de óbitos no estado atingiu o número de 48.985.

Em relação à primeira semana epidemiológica, houve aumento de 11,7% no número de novos casos, incremento de 3,3% nas internações e queda de 19% no número de óbitos.

 

 

Programa de volta às aulas na rede estadual

O governador João Doria e os Secretários de Estado Rossieli Soares (Educação) e Marco Vinholi (Desenvolvimento Regional) apresentaram aos 645 prefeitos do Estado os detalhes da volta às aulas presenciais a partir de 1º de fevereiro na rede pública estadual.

A retomada ocorrerá no próximo dia 1º de fevereiro.

Para este ano, foi autorizada pelo Governo do Estado a abertura das escolas em todas as fases do Plano São Paulo, obedecendo aos critérios de segurança estabelecidos pelo Centro de Contingência do Coronavírus.

Além do tema da volta às aulas, foram abordadas as parcerias entre Estado e Municípios, como materiais didáticos, merenda e transporte escolar.

No encontro virtual também foi anunciado investimento de R$ 80 milhões para o novo programa para ampliação de vagas em creches municipais. O diferencial para este ano é que as prefeituras poderão ofertar seus próprios projetos de obras para construção.

O número de vagas ofertadas dependerá das demandas dos municípios.

Detalhes sobre o programa serão publicados em resolução nos próximos dias.

LEIA TAMBÉM: