'Abandono'

Parquinho infantil mostra o descaso pelos bairros mais afastados

Local passa hoje por limpeza e segundo a prefeitura deve receber novos brinquedos no próximo mês

20 de abril de 2016 - 18:12

Nara Assunção

Compartilhe

“Em ano eleitoral todos aparecem, fazem promessas e apresentam melhorias. O prefeito mesmo conseguiu muitos votos por aqui. E depois?”, indagou a lider comunitária Maria Cristina de Jesus, moradora da Avenida Marginal Anchieta. A resposta para a indagação de Cristina, como ela mesmo respondeu – infelizmente – é que dificilmente as visitas voltam a ocorrer e as melhorias ficam apenas nas promessas de campanha, principalmente nos bairros mais carentes, onde a atenção deveria ser maior mas não é.

Em uma cidade que se orgulha em ocupar o primeiro lugar na lista das melhores grandes cidades do Brasil para se viver, de acordo com algumas pesquisas, há muito para avançar no que se refere a desigualdade. Do lado oposto ao belo jardim das praias de Santos estão enormes comunidades, onde vivem famílias em condições precárias. Na cidade, para se ter ideia, 26% das crianças de 0 a 5 anos, ou seja, 7,6 mil vivem em áreas de vulnerabilidade social. 

Para o morador há 28 anos Getúlio dos Santos, o Bigu eletricista de 64 anos – que ajuda como voluntário nas ações da líder comunitária Cristina – a carência é grande para as crianças. “Aqui temos uma pracinha. Quando é tempo de eleição vem várias pessoas puxar o mato aqui, tirar a sujeira dali e depois somem todos. É o único lugar que as crianças tem para brincar. E não tendo elas ficam carentes de lazer. Do mais simples lazer”, diz.

Em visita na última semana ao bairro – bem próximo a escultura de peixe que dá boas vindas para quem chega, famílias vivem em diferentes condições, de casas mais elaboradas de alvenaria até palafitas mais ao fundo. Quem mora perto da via se sente rico. Os que vivem nas palafitas, sonham em dias melhores.  Ao serem indagadas, elas gostam de onde vivem, mas para elas é negado tudo, do lazer a um acesso melhor a escola e a saúde. As crianças brincam livres pelas ruas. E o que deveria ser um parquinho – como tem muitos na praia e em bairros mais nobres da Cidade – se transformou em um lugar abandonado. No dia era possível ver o acúmulo de lixo, grama alta e nenhum brinquedo com condições de uso.

A moradora Luciene Soares dos Santos, que mora bem próximo ao local há cinco anos, lamenta a situação da praça. Moradora há 29 anos do bairro, hoje com 30 anos e dois filhos, Luciene acha que o espaço poderia ser bem aproveitado pelas crianças.  “Seria um ótimo lugar para elas brincarem. Queremos melhorias. Espero que as obras que acontecem por toda a cidade também cheguem aqui. So vêem as praias. Que eles possam olhar mais pra cá”, disse.

As fotos tiradas na última semana mostra um amplo espaço para as crianças brincarem com lixo, mato alto e nenhum brinquedo com condições de serem utilizados pelas crianças do entorno.

FOTOSpraca

 

Nesta quarta-feira (20), após enviarmos pedindo de explicações da prefeitura no início da semana, o espaço está passando por uma limpeza e segundo nota da Prefeitura de Santos, no próximo mês, deve receber novos brinquedos. Segue fotos enviadas pela prefeitura da limpeza do espaço que deveria ser utilizado como área de lazer pelas crianças:

limpeza