Eleições municipais

Pesquisa Enfoque/Boqnews revela o atual cenário eleitoral para 2020

Com 1030 entrevistados, pesquisa Enfoque/Boqnews revela a tendência atual entre possíveis pré-candidatos à Prefeitura de Santos. Trata-se da primeira pesquisa que analisa o cenário visando a disputa municipal.

18 de outubro de 2019 - 18:16

Fernando De Maria

Compartilhe

Para a ampla maioria da população, as eleições municipais de 4 de outubro de 2020 soam como algo distante.

Afinal, apenas 3 em cada dez eleitores santistas têm interesse por política.
No entanto, nos bastidores, as movimentações iniciaram e alguns nomes já se colocam como pré-candidatos à sucessão do prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), que não poderá concorrer por estar concluindo seu segundo mandato.

Neste cenário, fica claro que as eleições do ano passado ajudaram a alavancar os nomes mais citados pelos eleitores, conforme o levantamento da pesquisa Enfoque/Boqnews com eventuais nomes que poderão concorrer – ou não – ao Executivo municipal.

Trata-se da primeira pesquisa que revela o atual cenário com base em eventuais pré-candidatos.

Não significa, porém, que todos participarão da disputa eleitoral.

Os nomes tomam base informações divulgadas na mídia, mas não necessariamente serão confirmadas nas urnas.

Diante deste cenário, o deputado estadual Kenny Mendes (Progressistas) surge como o principal nome na disputa neste momento.

Liderando tanto na espontânea (8,3% das citações), como na induzida (27,5%), conforme a pesquisa.

Mendes será o fiel da balança nas eleições, tendo ou não seu nome nas urnas como candidato em 2020.

O parlamentar disse que tomará esta decisão apenas no próximo ano.

Outra política bem citada é a deputada federal Rosana Valle (PSB).

No entanto, a probabilidade maior é dela permanecer no Congresso.

Também se destaca na preferência do eleitorado, o ex-prefeito e ex-deputado federal João Paulo Tavares Papa (PSDB), que ainda não confirmou se entrará ou não na disputa, apesar do presidente estadual da legenda, Marco Vinholi, ter declarado que ele será o candidato do partido, caso queira.

 

 

 

Números próximos

O percentual dos três mais citados tem relação direta com as eleições de 2018.

Para a Assembleia Legislativa, Kenny foi o mais votado em Santos e teve 27,99% dos votos válidos, com 64.855 sufrágios.

Para a Câmara Federal, Rosana ficou na liderança com 14,96% dos votos válidos, totalizando 34.844 sufrágios.

E Papa obteve 8,91% do total de votos dos santistas (20.743).

Os percentuais se assemelham aos resultados da pesquisa na atualidade.

Levando em consideração o total de votos válidos para o Executivo na eleição municipal de 2016 (221.520) e cruzando com a projeção percentual da pesquisa, Kenny teria hoje algo em torno de 61 mil votos; Rosana, 29 mil; e Papa, 25,3 mil.

Números próximos em relação aos obtidos por eles em 2018.

Isso confirma a relação entre as eleições passadas com o atual cenário.

 

PSDB

Partido do prefeito, o PSDB de Santos já se reuniu para definir os eventuais pré-candidatos interessados em disputar a sucessão de Paulo Alexandre: os secretários de Gestão e Saúde, Rogério Santos e Fábio Ferraz, respectivamente, e o vereador Augusto Duarte colocaram seus nomes à disposição.

A presidente da legenda em Santos, Renata Bravo, assegura que o partido fortalecerá o debate com a militância “para escolher democraticamente o melhor nome para representar o Novo PSDB nas eleições municipais”.

Segundo ela, o ex-prefeito Papa será convidado para participar das discussões.

Portanto, diante deste impasse dentro da legenda, até o início de abril – prazo legal possível para mudanças – irão ocorrer alterações.

Assim, como só há uma vaga dentro do PSDB para entrar na cabeça de chapa, outras agremiações ganharão o reforço dos dissidentes.

É o caso do Novo, que poderá ter o secretário Ferraz como candidato, além do próprio Rogério Santos, que poderia migrar para o MDB ou PR, segundo informações de bastidores.

Santos é o preferido do prefeito para sucedê-lo na disputa. Isso, é claro, se Papa for definido como candidato do PSDB.

 

Outros nomes

Com a possilidade do presidente Jair Bolsonaro deixar o PSL e migrar para o PSD, conforme divulgado pela Imprensa, isso afetará ambas as legendas na Cidade.

O PSD, que tem como pré-candidato o ex-presidente do Tribunal de Justiça, Ivan Sartori, poderá se beneficiar com a alteração.

Como pré-candidato, Sartori tem se colocado como crítico ao governo Paulo Barbosa. Bolsonaro obteve em Santos 168.843 votos.

Sempre cotado pela sua passagem à frente do Santos FC, o empresário Marcelo Teixeira, também no PSD, foi lembrado, com 7,3% das citações, assim como o vereador Banha, pré-candidato pelo MDB, com 4,5%.

 

 

Como foi feita

A pesquisa ocorreu de 8 a 14 de outubro, com 1.030 eleitores de Santos acima dos 16 anos.

A margem de erro é de 3,1 pontos percentuais para mais ou menos.

Na próxima edição, será divulgada a avaliação dos governos Bolsonaro, Doria e Paulo Alexandre, além do trabalho dos vereadores e deputados com base eleitoral na região.

 

 

LEIA TAMBÉM: