cidades

Praia Grande registra aumento de 60% no atendimento de especialidades

As unidades da Secretaria de Saúde Pública (Sesap) de Praia Grande contabilizaram aumento de aproximadamente 60% no atendimento médico de…

28 de outubro de 2009 - 12:12

Da Redação

Compartilhe

As unidades da Secretaria de Saúde Pública (Sesap) de Praia Grande contabilizaram aumento de aproximadamente 60% no atendimento médico de especialidades. O levantamento foi feito nos meses de julho, agosto e setembro último. Saltaram de 18.920 no penúltimo cálculo, de março a junho, para 30.536 consultas no terceiro trimestre deste ano.


Os dados foram apresentados em audiência pública na Câmara dos Vereadores. Números da Sesap levam em conta a somatória de consultas do Centro de Especialidades Médicas, Ambulatorial e Social (Cemas), Serviço de Atenção Especializada (SAE) e também ambulatório de Saúde Mental.


Além dessa produção, o atendimento com profissionais de nível superior ultrapassou a casa dos 11.500. Foram contabilizados ainda atendimentos da equipe de enfermagem: 1.295; das auxiliares: 5.312 e 644 trabalhos em grupo. Os procedimentos de fisioterapia somaram 18.220. Vale ressaltar que ainda ocorreram 99 cirurgias dermatológicas no Cemas.


O secretário de Saúde Pública (Sesap), Adriano Springmann Bechara, explica que o aumento nos atendimentos no serviço de Saúde se deu por conta de melhor organização do sistema. “Estamos com a rede totalmente organizada. No início do ano dissemos que, com a melhora da gestão, conseguiríamos melhorar a assistência, que não seria de imediato, demoraria alguns meses. E isso vem se concretizando”, enfatizou.


Bechara creditou parte do aumento ao Complexo Regulador – que prioriza consultas de urgência e emergência no Cemas ou Ambulatório Médico de Especialidades, reduzindo o número de faltas. Ressaltou ainda que um sistema de agendamento integrado – em fase de adaptação na unidade do Bairro Ribeirópolis, está sob análise para posteriormente ser aplicado em toda a rede.


A Rede Municipal de Saúde atende atualmente 95,74% da população fixa, de acordo com dados atualizados pelo SUS. A Cidade conta com 16 Unidades de Saúde da Família (Usafas) com um total de 47 equipes, que cobrem 79,3% da população praiagrandense – estimada pelo IBGE em 249.551 habitantes. A Cidade possui também quatro multiclínicas, que têm cobertura de outros 16,44% moradores.


No serviço de atenção básica das Usafas, as agentes comunitárias de Saúde realizaram 124.494 visitas domiciliares; os procedimentos de auxiliares de enfermagem significaram 49.910 atendimentos; somado a 41.380 consultas médicas; 14.289 consultas de enfermeiros; 3.759 consultas de pré-natal; 2.640 visitas domiciliares de nível superior; 564 trabalhos em grupo.


No Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf) – instalado numa região popularmente conhecida como Trevo (Ribeirópolis, Esmeralda, Samambaia e Melvi) atende aproximadamente 47 mil pessoas -, foram realizadas 727 consultas pediátricas; 647 consultas ginecológicas; 187 consultas com assistente social, 165 consultas com psicólogo; 98 consultas com nutricionista; nove trabalhos de grupo na Pediatria e quatro visitas domiciliares


Nas três multiclínicas, foram realizadas 14.749 consultas médicas; 18.320 visitas domiciliares de agentes comunitárias; 11.304 procedimentos de auxiliares de enfermagem; 758 consultas com profissionais de enfermagem; 569 consultas de pré-natal; 96 visitas domiciliares por profissionais de nível superior; 57 trabalhos em grupo.


Emergência


Nos três prontos-socorros da Cidade (Central, Quietude e Samambaia), ocorreram 394.576 atendimentos. Desses, 259.717 (66%) procedimentos de enfermagem e 134.859 (34%) atendimentos médicos. No Central, 20.868 foram consultas de clínica, quatro de pediatria e 10.556 de ortopedia. Quietude, 29.200 de clínica e 15.312 de pediatria. No Samambaia, 16.691 procedimentos de clínica. No serviço de remoção 192, 6.740 dentro da Cidade (internas) e 410 para outras cidades (externas).


Exames


Foram realizados 226.664 exames laboratoriais; 35.497 exames de raios-X; 6.012 eletrocardiogramas; 5.546 preventivos de colo uterino; 4.384 ultrassonografias; 2.235 exames oftalmológicos; 1.525 endoscopias; 1.436 mamografias; 941 tomografias; 464 eletroencefalogramas; 339 ecocardiogramas; 335 exames audiológicos; 132 eletroneuromiografias; 51 colonoscopias; 26 testes ergométricos; e 19 retossigmoidoscopias.


Epidemia


Durante o surto gripal do vírus A (H1N1), a Vigilância Epidemiológica realizou 2.152 atendimentos na tenda montada no pronto-socorro Quietude. Desses, 1.529 apresentavam sintomas de quadro gripal. Foram realizados 88 exames para confirmar suspeitos de contaminação de H1N1. Confirmados; 38, com dois óbitos; 32 descartados e três mortes por outras causas; 18 aguardam resultado. No período, apenas uma unidade escolar enfrentou surto.


Zoonoses


De acordo com o Centro de Controle de Zoonoses, o número de eutanásias em animais apreendidos pela equipe foi de 82, menor que o de adoções, que ficou em 176. O setor promoveu ainda 88 apreensões, 69 castrações, 56 desratizações, 15 desinsetizações e 112 vistorias. No controle de vetores, como a dengue, o setor realizou 66.101 ações em residências, observou 334 pontos estratégicos e atendeu outros 289 pedidos de vistoria.

LEIA TAMBÉM: