Santos

Programa de eficiência pode render mais de R$ 51 milhões

Ganho anual está previsto em estudo de gestão administrativa que prevê a diminuição de gastos e o aumento da arrecadação de impostos

15 de julho de 2014 - 14:44

PMS

Da Redação

Compartilhe

Um potencial de economia de R$ 51,4 milhões por ano aos cofres públicos para investimentos na cidade, com redução das despesas e aumento da arrecadação, sem elevação de impostos.

É o balanço apresentado na última segunda-feira (14) pela Falconi – Consultores de Resultado e pela prefeitura a um grupo de empresários que integram o projeto de aprimoramento da gestão pública municipal Juntos pelo Desenvolvimento Sustentável, da organização Comunitas, em reunião no Museu Pelé.

O objetivo foi mostrar o andamento desta primeira etapa do projeto, cujo termo de cooperação técnica entre Administração Municipal e Comunitas foi firmado em março, visando estimular a soma de esforços entre a iniciativa privada e o governo para novas parcerias público-privadas.

“Esse projeto já é uma realidade para a modernização da máquina e da gestão, com conceitos e práticas da iniciativa privada ao setor público, para melhorar a vida da população”, disse o prefeito Paulo Alexandre Barbosa.

Para Marcos Lutz, diretor-presidente da Cosan, patrocinador master do projeto na cidade, os primeiros três meses foram bons para solidificar o apoio e o engajamento do empresariado local.

Do montante de economia previsto na análise da Falconi, R$ 44,2 milhões serão provenientes da ampliação das receitas de impostos (ISS, IPTU e ITBI) e da Dívida Ativa; e R$ 7,2 milhões da redução das despesas correntes (telefonia fixa e móvel, aluguel, água, energia e combustível).

Na ocasião, o titular da pasta de Gestão, Fábio Ferraz, apresentou o programa PDR (Participação Direta nos Resultados), que consiste na definição de metas a serem alcançadas pelas secretarias e órgãos. “Em março de 2015 teremos a possibilidade de pagar as primeiras bonificações aos servidores e ampliar a iniciativa a todas as secretarias”.

LEIA TAMBÉM: