Reunião define atuação no Porto de Santos nesta terça-feira (5) | Boqnews

Cidades

30 DE ABRIL DE 2009

Reunião define atuação no Porto de Santos nesta terça-feira (5)

Para estreitar a comunicação com o Porto de Santos e agilizar o fluxo de informações sobre as medidas preventivas contra a gripe suína, será realizada, na próxima terça-feira (5), reunião extraordinária do CAP (Conselho de Autoridade Portuária). O encontro, marcado para as 10h, na Associação Comercial de Santos, Centro Histórico. A notícia foi divulgada pelo […]

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

Para estreitar a comunicação com o Porto de Santos e agilizar o fluxo de informações sobre as medidas preventivas contra a gripe suína, será realizada, na próxima terça-feira (5), reunião extraordinária do CAP (Conselho de Autoridade Portuária). O encontro, marcado para as 10h, na Associação Comercial de Santos, Centro Histórico.


A notícia foi divulgada pelo secretário municipal de Assuntos Portuários e Marítimos, Sérgio Aquino, durante encontro realizado ontem (quinta 30), na Codesp, para discutir as estratégias de controle da doença.


Participaram representantes de todos os setores que atuam no porto (Codesp, Sindamar, Ogmo, Praticagem, Cetesb) e autoridades de saúde da região (Anvisa, Secretaria de Estado da Saúde, SMS). “O objetivo será harmonizar as informações de maneira a tranquilizar os diversos segmentos que atuam no Porto e esclarecer eventuais dúvidas”, explicou Aquino.


Estratégia


O responsável pelo Posto da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) em Santos, Raul Guerra de Andrade, disse que os navios que vierem de áreas afetadas e tiverem suspeitos a bordo (ou seja, algum tripulante com sintoma da gripe suína) aguardarão a inspeção do órgão na barra (fundeio). Já os que não tiverem suspeitos serão inspecionados após a atracação e só depois receberão o documento de Livre Prática.


“Se o navio não vem de área endêmica, não tem suspeito, segue a rotina, os procedimentos normais”, ressaltou Andrade. “O navio atracado, já em operação, não oferece risco. É essa tranquilidade que devemos passar para a população”, acrescentou Aquino.


O Porto de Santos é o maior da América Latina. Cerca de 10% dos navios cargueiros que atracam aqui trazem mercadorias dos Estados Unidos e do México, países onde foram registrados casos da doença, inclusive fatais. O gerente de Saúde e Segurança da Codesp, Guanito Prado Alves Filho, lembrou que o tempo de duração de qualquer viagem marítima, das áreas afetadas para o Brasil, leva mais do que 15 dias, “tempo suficiente para definir a situação do paciente, por isso não é preciso pânico”. O período de incubação da doença dura de três a sete dias.


O secretário de Saúde, Odílio Rodrigues Filho, apresentou o Plano de Contingência estabelecido pelo município, que define o fluxo de atendimento dos casos suspeitos. “Daremos todo o suporte de transporte para o hospital de referência e faremos o acompanhamento e a vigilância dos casos”, garantiu.

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.