Abandono

Rodoviária de Santos apresenta problemas de segurança e infraestrutura

Usuários relatam problemas com segurança e conservação da edificação

14 de outubro de 2019 - 09:33

Da Redação

Compartilhe

Passageiros são abordados constantemente ao chegarem no Terminal. Foto: Nando Santos

 

Abordagens corriqueiras, medo, brigas e furtos. Corredores escuros. Más condições dos sanitários.

O cenário da Estação Rodoviária de Santos, no Centro, causa indignação aos usuários, sejam munícipes ou turistas.

As cenas de moradores em situação de rua, usuários de drogas e flanelinhas abordando motoristas e passageiros dentro e no entorno da estação são costumeiras.

A depredação dos sanitários – alguns sem portas -, e a falta de iluminação, principalmente à noite, também contribuem para a situação.

No entorno, estabelecimentos comerciais se cercam – com cercas e câmeras – para evitar invasões e furtos.

 

Números explicam

De 2014 a 2017, os números de passageiros que embarcaram na Rodoviária se mantiveram estáveis, chegando a 900 mil/ano.

Em 2018, o total de embarques chegou a 700 mil/ano, portanto, uma queda de 22%.

Contudo, em dias úteis, a média de passageiros chega a 4.700.

 

Problemas constatados

Problemas não faltam para quem usa o local.

Durante o tempo em que aguardava a saída do ônibus para o interior de São Paulo, fui abordado por pessoas que pediam dinheiro constantemente.

A cena continuou com outros passageiros que aguardavam o mesmo transporte.

Na última quinta-feira (10) pela manhã, a Reportagem do Boqnews voltou ao local e presenciou cenas de brigas e discussões entre flanelinhas, que são os ‘donos do pedaço’.

Eles disputam muitas vezes no tapa os carros que chegam para estacionar para embarque ou desembarque dos passageiros ao longo da Praça dos Andradas.

Especialmente no trecho em frente à Cadeira Velha.

Indignada com a situação, a munícipe Margareth da Conceição Peppe divulgou à Imprensa um relato pessoal sobre o que ocorreu-lhe na Rodoviária de Santos.

No último dia 3, às 19h, ela foi abordada dentro do banheiro feminino por uma pessoa visivelmente fora de si em razão do consumo de drogas.

Assim, segundo Margareth, a mulher havia segurado a porta do espaço individual impedindo o seu fechamento e forçando-lhe a dar dinheiro.

“A funcionária responsável pela limpeza que cuidava do banheiro feminino naquele momento estava nitidamente apavorada com tudo o que estava ocorrendo comigo e com as outras pessoas lá dentro”, denunciou.

 

Usuários de drogas e moradores de rua protagonizam cenas de extorsão constantemente. Foto: Nando Santos

 

Problemas constatados

Devido às circunstâncias e constantes denúncias de moradores, na última quarta-feira (2), foi realizada na Câmara audiência pública para tratar dos problemas no local, a pedido do vereador Fabrício Cardoso (PSB).

O tenente da Polícia Militar, Marcos Alexandre Xavier, constatou que é necessário uma melhora na iluminação da Rodoviária e também na Praça dos Andradas.

Segundo ele, outro problema são os flanelinhas.

O tenente reconhece que os indivíduos praticam constantes extorsões aos motoristas que estacionam os carros próximos à Rodoviária.

Além disso, ele comentou que há policiais constantemente no local.

Porém, enquanto a reportagem esteve na estação, na quinta pela manhã (10) não encontrou qualquer viatura policial nem da Guarda Municipal.

 

Reclamações

O presidente do 1º Conselho Comunitário de Segurança de Santos (Conseg), Julio Domingues, ressaltou na audiência que inúmeros furtos são realizados enquanto as pessoas estão dentro do banheiro.

E casos de extorsão são feitos, muitas vezes, em mulheres de idade ou com quem está com alguma criança.

“Eles forçam uma situação e a pessoa libera o dinheiro para se livrar daquele incômodo. A maioria das vezes é assim”, afirma.

Ele salienta ainda sobre a previsão da passagem do VLT ao lado da Rodoviária.

No seu entender, isso deverá promover uma melhora no local.

Assim, recebendo melhor os os moradores de Santos e até de outras cidades.

O presidente da CET-Santos, responsável pelos cuidados do Terminal, Rogério Vilani, apresentou alguns dados e datas para a realização de melhorias.

Segundo Vilani, devido ao nível de proteção (NP2), o local não pode receber reformas em sua estrutura de fachada.

Entretanto, o nível não provoca problemas ao projeto que está sendo desenvolvido pela Prodesan, proprietária da Rodoviária, que completa 50 anos em dezembro.

Ele salientou que mesmo que haja um acréscimo no número de funcionários, os problemas não mudarão.

 

 

Banheiro apresenta problemas na infraestrutura, algumas cabines já não possuem portas. Foto: Nando Santos

 

Obras

As obras de revitalização têm previsão para iniciar em janeiro com término em junho de 2020.

Os serviços incluem envidraçamento da Rodoviária para que haja apenas uma entrada principal; alargamento do espaço para parada dos ônibus e sala de espera climatizada e com banheiro próprio para quem aguarda o embarque e desembarque dos ônibus.

Além das reformas nos sanitários.

No entanto, em nota, a prefeitura assegura que as obras não atrapalharão o dia a dia do local.

Não foram divulgados a previsão de gastos para a execução dos serviços.