Santos, 475 anos

Santos e os desafios para a nova década

A Cidade tem o desafio de passar pela pandemia e realizar projetos em diversos setores para diminuir os danos causados pelo vírus nesta segunda década do século 21

26 de janeiro de 2021 - 12:06

João Pedro Bezerra

Compartilhe

Nos próximos anos, a expectativa é a volta à normalidade. Assim, o município precisa estar preparado para vencer as adversidades deixadas pela pandemia, com um olhar no futuro, sem esquecer o presente. Certamente, o maior desafio no curto prazo é passar pelo coronavírus que, infelizmente, já vitimou mais de mil santistas, marca alcançada na quinta (21).

Monumento virou cartão postal da cidade/ Foto: Divulgação/PMS

Economia

Um dos pontos principais para a nova década é recuperar a economia, já que muitos munícipes perderam o emprego e alguns comércios fecharam as portas, inclusive pontos tradicionais na cidade, como o restaurante Vasquez e o bar Viracopos, local de encontro de universitários.

Segundo o economista Dênis Castro, Santos precisa fomentar o turismo, cultura e preencher lacunas na implementação de empresas que atuem no setor retroportuário.

Questionado sobre como se recuperar da crise deixada pela pandemia, o economista destacou que o segredo consiste em alocar os recursos e esforços para incentivar a geração de empregos. “É importante a administração pública ter projetos junto às universidades para aproveitar essa mão de obra qualificada na Cidade”, enfatiza.

“A economia criativa, com incentivo à criação de polos de tecnologia trariam recursos e gerariam novos empregos, bem como a integração com as demais cidades da Baixada para criação de um polo industrial retroportuario que agregue valor às commodities exportadas da maneira mais básica e, consequentemente, com menor valor”, destaca.

A pandemia deixou um legado nas relações de trabalho com home office, que certamente serão uma tendência para o futuro, pois muitas profissões não terão mais a necessidade do trabalho presencial. Isso traz diversos impactos, como a diminuição do fluxo de veículos nos horários de pico.

Educação

Assim como na maioria das cidades brasileiras, Santos busca recuperar o tempo perdido na educação. A preocupação por parte das autoridades, sobretudo, é com os alunos que tiveram dificuldades no ensino remoto já que muitos não tinham acesso à internet ou precisaram dividir o celular com o irmão, pais ou avós.

A secretaria de Educação de Santos, Cristina Barletta ressalta que o maior desafio na área é minimizar os impactos causados pela pandemia “Vamos adotar o ensino híbrido para que a gente possa ampliar o horário dos alunos e pensar numa avaliação individual na recuperação deste período, onde não conseguimos trabalhar todo o conteúdo, visando diminuir a desigualdade entre as redes pública e privada”, discorre.

Em relação à grade curricular, ela destacou que as aulas presenciais voltarão gradualmente de acordo com o grau da pandemia. Porém, mesmo após todas as pessoas serem vacinadas, os estudantes terão aulas de reforço para que toda uma geração não seja comprometida, tendo os professores um papel fundamental nesta missão.

Porto

Sérgio Coelho Codesp.

Porto deve ter avanços na privatização. Foto: Sergio Coelho/Codesp – Divulgação

O projeto BR do Mar, aprovado pela Câmara dos Deputados em dezembro de 2020, trará mudanças no Porto de Santos, já que o projeto incentiva o transporte marítimo nacional. A estimativa é que o projeto traga ainda mais carga para o maior Porto da América Latina, que está no processo de desestatização. No entanto, a medida é criticada por sindicalistas e trabalhadores do setor, que temem um aumento do desemprego em toda a cadeia logística portuária.

Turismo

Um do setores mais promissores pós pandemia na Cidade. A área teve um enorme prejuízo em 2020 e comprometeu o orçamento de Santos. Para se ter uma ideia, sem a temporada de cruzeiros, o município e região deixaram de arrecadar mais de R$ 320 milhões.

Porém, com a vacinação em massa, a expectativa é que as pessoas venham mais para Santos. Um dos motivos é a alta do dólar, que faz o turista optar por uma viagem regional.

Nos últimos anos, a cidade ganhou diversos pontos turísticos como o Museu Pelé, Lagoa da Saudade, Nova Ponta da Praia, as esculturas do número dos canais e o Santos Convention Center, gerido pela GL Events, uma das maiores empresas do mundo. De acordo com a advogada com ênfase em turismo, Carla Macedo, os novos pontos turísticos impactam de forma positiva em Santos, que tem vocação para o segmento e por ser perto da Capital atrai visitantes.

“Claramente precisamos de estruturas revitalizadas, conservadas e que trazem, sobretudo, bem-estar. A tendência é que, mantendo os pontos turísticos, sem deixar de lado as necessidades dos segmentos e atualizações, quando necessários, Santos se consolide entre as melhores cidades do País para ser visitada” enfatiza Carla.

Cultura e Esporte

Expectativa é da Vila Belmiro receber público com a vacinação em massa/ Foto: Divulgação

Os eventos culturais e esportivos em Santos terão a normalidade apenas com a vacinação em massa. Ambas as áreas têm boas perspectivas. Isso porque Santos é uma cidade de grande potencial.

Mesmo com a pandemia, a Secretaria de Cultura realizou diversas apresentações virtuais. A expectativa é que já a partir de 2022, os grandes eventos, como o Carnaval e o Festival Geek, voltem a ser realizados, o que será simbólico, pois a maioria da população está esperando o momento para se divertir nas festas e festivais. Já na área esportiva, a cidade espera que a boa fase do Santos FC que está na final da Libertadores se mantenha nos próximos anos e, quem sabe, a Portuguesa Santista volte à elite do Campeonato Paulista e o Jabaquara consiga acesso para Série A3.

Uma boa novidade que pode pintar nos próximos anos é o fato de Santos ter uma equipe de basquete no NBB.

No ano passado, o diálogo entre o então presidente do clube, Orlando Rollo, e o prefeito Paulo Alexandre Barbosa estava em estágio promissor. Resta saber se o projeto será concretizado pelas atuais gestões da Prefeitura e do Santos FC.
Além disso, os atletas da cidade podem fazer bonito nas próximas Olimpíadas e a prática esportiva deve continuar sendo uma das atividades mais comuns pela população.

Qualidade de Vida

Qualidade de vida é uma das características de Santos/ Foto: Divulgação/PMS

Santos quer manter nesta nova década o status de uma das melhores cidades do País em termos de qualidade de vida. Para isso, o município tem pela frente o desafio de diminuir a desigualdade social, além de proporcionar boas condições para a população em todos os setores da sociedade. (JPB)

LEIA TAMBÉM: