Eleições

Santos terá 16 candidatos na disputa à Prefeitura

Nomes foram anunciados nas convenções partidárias, confira a lista e o perfil dos candidatos

18 de setembro de 2020 - 18:33

João Pedro Bezerra

Compartilhe

Os candidatos que estarão na disputa ao cargo do Executivo de Santos já foram definidos pelos partidos, após a homologação das chapas nas convenções partidárias, conforme protocolo estabelecido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O registro oficial da chapa (com o nome do vice) prossegue até o dia 26 de setembro.

Vale ressaltar que até o período pode haver desistências por parte dos candidatos. Além disso, há a possibilidade da Justiça Eleitoral indeferir em alguma chapa por suposta irregularidade.
Pelo menos, 16 nomes colocaram seus nomes à disposição dos partidos para concorrer ao palácio José Bonifácio, número recorde. Um fato que chama a atenção é a quantidade de candidatos estreantes nas urnas.

De acordo com o cientista político Fernando Chagas, normalmente, quando um prefeito, bem avaliado pela população, não pode sair candidato à reeleição, a tendência é de haver um grande número de concorrentes.

“A disputa fica mais aberta e sem favorito, entusiasmando os políticos a aproveitarem a oportunidade para comandar o destino do Município. Além disso, a política nacional vive um momento de transição, onde o eleitor rejeita a dita política antiga e deseja a falada nova política, mesmo não sabendo definir o seu significado e a sua finalidade”, destaca Chagas.

Em relação as prioridades durante a campanha, o profissional acredita que as questões sanitárias e de saúde pública deverão dominar o debate eleitoral no seu início, devido a pandemia da Covid-19.

Por outro lado, a educação e a assistência social devem ser tratadas como prioridade no Município, além do transporte público, limpeza, segurança, mobilidade urbana, atividades portuárias, zeladoria e turismo.

Nenhuma mulher

Apesar de ser a Cidade mais feminina do Estado de São Paulo, com 53,8% da população de mulheres e 46,2% homens, segundo dados da Fundação Sedae, Santos não terá qualquer candidata às eleições para a Prefeitura neste ano, mesmo com o número elevado de nomes que disputam o cargo.
Para se ter uma ideia são 231 mil mulheres contra 198 mil homens na Cidade. Assim o voto feminino tem influência direta na corrida eleitoral.

Preocupação

Uma das maiores preocupações em relação às eleições que acontecem no dia 15 de novembro (1° turno) e 29 de novembro (2° turno) são os impactos provocados pela pandemia. Um deles é o grande número de abstenções, pois muitas pessoas do grupo de risco, como idosos e pacientes com doenças crônicas, não deverão sair de casa para votar.
Vale ressaltar que Santos tem um grande número de munícipes acima dos 60 anos. Eles representam 30% do eleitorado, sendo praticamente a metade (15%) entre 60 a 69 anos e o restante acima de 70 anos, que já não são mais obrigados a votar.
Como o TSE já avisou que as pessoas de grupo de risco poderão justificar o voto (entre 60 a 69 anos), a tendência é que a abstenção cresça em relação às eleições passadas.

Propaganda Eleitoral

O horário eleitoral na televisão pode ser determinante na hora do voto. Quanto maior a coligação de partidos e representatividade na Câmara Federal, maior o tempo de TV que o candidato terá.

Contudo, as redes sociais serão essenciais, pois os candidatos vão engajar a campanha na internet com propostas e projetos, além de ouvir a população que terá menos contato com os políticos devido à pandemia.

É importante frisar que as mídias sociais tiveram papel fundamental no voto nas últimas eleições. No entanto, outras mídias, como os jornais, e o horário eleitoral gratuito também terão força para atender parcela do eleitorado, ainda mais em razão do distanciamento do contato do eleitor com os candidatos.

Mesmo raciocínio vale para os candidatos ao Legislativo. Pelo menos duas vagas terão novos representantes, pois dois dos atuais vereadores não participarão: Banha (MDB), candidato a prefeito, e Sadao Nakai (PSDB), que desistiu da disputa eleitoral.

Confira abaixo, a lista de candidatos por ordem alfabética.

Antônio Carlos Banha (MDB)

Formado em Direito e Administração, 55 anos, vereador em Santos por cinco mandatos

Bayard Umbuzeiro (PTB)

Empresário, 80 anos, ex-vereador, diretor-presidente da Transbrasa e presidente da ABTRA

Carlos Paz (Avante)

Analista Tributário, 61 anos, ex-presidente estadual do Sindicato de Analistas Tributários da Receita Federal

Delegado Romano (DC)

 

Delegado da Polícia Civil, 56 anos, disputou a última eleição municipal na condição de candidato a vereador

Douglas Martins (PT)

Advogado, jornalista, 59 anos, ex- secretário-adjunto da Igualdade Racial da Presidência da República

Guilherme Prado (PSOL)

Professor, Mestre em Ciências Humanas e Sociais, 30 anos, atua como empreendedor solidário

Ivan Sartori (PSD)

Desembargador aposentado, 63 anos, ex-presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo

João Vilella (NOVO)

 

Engenheiro mecânico, advogado e empresário, 49 anos, atuou como professor na Fundação Paula Sousa

Luiz Xavier (PSTU)

Servidor Público Aposentado, 64 anos, com atuação em movimentos sindicais

Marcelo Coelho (PRTB)

Empresário, 50 anos, idealizador do Downhill da Descida das Escadarias de Santos

Márcio Aurélio (PDT)

Médico sanitarista, 62 anos, atua como especialista em saúde pública e medicina do trabalho

Moysés Fernandes (PV)

Jornalista, consultor, 44 anos, foi candidato a vice-prefeito no último pleito pela coligação Santos Merece Mais

Rogério Santos (PSDB)

Dentista, 54 anos, ex-chefe de Gabinete e ex-secretário de Governo da Prefeitura de Santos

Tanah Corrêa (CIDADANIA)

Ator, diretor de teatro e produtor cultural, 80 anos, ex-secretário de Cultura de Santos

Thiago Andrade (PCdoB)

Microempresário, graduando em Gestão Pública, 35 anos, ex- presidente da União Paulista dos Estudantes

Vicente Cascione (PROS)

Advogado, professor universitário, 78 anos, ex-deputado federal, ex-presidente do Conselho de Trânsito (Contran)

 

 

 

 

 

 

 

LEIA TAMBÉM: