Baixada Santista

Tragédia nos morros da Baixada Santista completa um ano

Forte temporal provocou 45 mortes na região

02 de março de 2021 - 17:48

Da Redação

Compartilhe

2 de março de 2020, muitas pessoas ainda voltavam no trabalho quando um forte temporal atingiu a Baixada Santista.

Parecia uma chuva de verão, no entanto o temporal não passou.

As ruas rapidamente ficaram alagadas, até mesmo as vias que tem um bom escoamento foram atingidas.

As pessoas que estavam nas universidades não conseguiram voltar para casa.

Aliás a água entrou em vários imóveis.

Para se ter uma ideia choveu 300 mm em Guarujá, 222 mm em Santos e 187 em São Vicente.

O pior aconteceu nos morros da região que registraram deslizamentos de terra.

A maior tragédia foi em Guarujá, 34 pessoas morreram nos morros da Barreira do João Guarda e do Macaco Molhado.

Já na cidades de Santos e São Vicente foram registrados 8 e 3 óbitos respectivamente.

Com isso, 45 pessoas perderam a vida em uma das maiores tragédias da região.

Um dado importante é que a solidariedade entre a população da Baixada Santista foi algo essencial.  Nas primeiras semanas, milhares de doações foram feitas para as famílias atingidas pela chuva.

Um ano depois do acontecimento, o Governo do Estado de São Paulo entregou as obras de contenção na encosta do Morro do Macaco Molhado, em Guarujá. O investimento foi de R$ 23,5 milhões.

Já a Prefeitura de Santos completou 11 obras e continua executando outras 12 nos morros da Cidade. As intervenções têm um custo de R$39,3 milhões e são realizadas pelas Secretarias de Infraestrutura e Edificações (Siedi) e de Serviços Públicos (Seserp), com apoio da Defesa Civil. Os recursos são divididos entre Município, Estado e União.

Homenagem

A vereadora Audrey Kleys prestou homenagem nesta terça (2) ao 6º Grupamento de Bombeiros de Santos pelos atos heroicos no resgate das vítimas dos deslizamentos.

Uma placa aos bombeiros será entregue na Câmara Municipal.

LEIA TAMBÉM: