Foto: Divulgação

Pandemia

05 DE NOVEMBRO DE 2021

Vacinação e queda no número de mortes por Covid permite uma maior flexibilização

Jogos de futebol, shows e aulas em São Paulo já podem ter 100% da capacidade liberada

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

Os resultados da vacinação em massa contra a Covid-19 já estão surtindo efeito no Brasil.

O País tem quase 73% da população com o esquema vacinal iniciado e mais de 55% já recebeu as duas doses (AstraZeneca, Coronavac e Pfizer) ou o imunizante de dose única da Jannsen.

É importante frisar que o Brasil tem 14 milhões de pessoas com a segunda dose atrasada, conforme divulgado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Assim, os faltosos devem procurar o posto de saúde com urgência para não comprometer o programa de controle da pandemia.

Apesar do número expressivo de pessoas com o esquema vacinal incompleto, o Brasil atingiu a menor média móvel de mortes desde maio do ano passado. Na última quinta-feira (4), a média estava em 227 óbitos.

Para se ter uma ideia, o Estado de São Paulo registrou uma queda de 93% em relação a abril deste ano, quando houve o pico da doença, tanto que a Baixada Santista entrou em lockdown neste período.

A situação no atual momento é completamente oposta. Em Santos, por exemplo, houve apenas uma morte oficial por Covid-19 nos últimos 7 dias.

Flexibilização

A vacinação em massa para pessoas com mais de 12 anos, a dose de reforço para os idosos e profissionais da saúde, atreladas a queda no número de mortes permitiu uma flexibilização em grande porte, tanto em âmbito estadual, como municipal.

Liberou geral?

Após muita espera, o Estado de São Paulo permitiu o retorno dos shows e baladas em pé, com a capacidade liberada em 100%, a medida começou na última segunda-feira (1).

Os protocolos de segurança como higienização e uso de máscara permanecem para estes eventos. Até o final do ano, a cidade de Santos irá receber shows de diversos artistas e grupos, como: Sorriso Maroto, Roupa Nova, DJ Alok, Israel e Rodolfo, Dilsinho e Inimigos da HP. Outra área que teve a liberação para 100% da capacidade no Estado de São Paulo, foram os eventos esportivos.

Dessa forma, quase 40 mil pagantes estiveram presentes na Neo Química Arena no início da semana, quando o Corinthians venceu a Chapecoense por 1 x 0. É importante frisar que para ir ao estádio, o torcedor precisa ter completado o esquema vacinal ou apresentar o teste negativo para a Covid-19, em caso de apenas uma dose da vacina.

Os menores de 12 anos que ainda não foram contemplados com a campanha de vacinação devem fazer o teste para ingressar no estádio.

Por falar em crianças, o Governo do Estado de São Paulo enviou um ofício a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) solicitando a imunização das crianças a partir de 5 anos.

O governador João Doria (PSDB) lembrou que os países sul-americanos, como Argentina, Chile e Colômbia já iniciaram este processo.

Aulas

Desde quarta-feira (3), as aulas presenciais no Estado de São Paulo são obrigatórias sem o revezamento e o distanciamento.

Assim, as salas de aula contam com 100% da capacidade. A decisão vale para as redes estaduais, municipais e privadas que estão vinculadas ao Conselho Nacional de Educação.

O secretário de Educação, Rossieli Soares destacou que a retomada só é possível graças a vacinação e o investimento na área.

Para alguns grupos, a medida ainda não é obrigatória, como os alunos do grupo de risco com menos de 12 anos, estudantes com comorbidades que não tenham completado o esquema vacinal e gestantes ou puérperas.

Além disso, o Governo de São Paulo anunciou o calendário do ano letivo para as escolas estaduais em 2022 que será iniciado no dia 2 de fevereiro, com encerramento no dia 23 de dezembro. Neste intervalo haverá o período de recesso no fim do primeiro e terceiro bimetres, e férias no mês de julho. “Vamos continuar a semana de estudos intensivos a cada bimestre para o percurso educacional dos alunos”, salientou Rossieli.

Turismo

Nesta semana, foi retomada a temporada de cruzeiros marítimos no Brasil. A primeira embarcação a atracar no Porto de Santos foi a MSC Preziosa. Seguindo os protocolos da Anvisa, os cruzeiros marítimos só podem navegar na costa brasileira, com 75% da capacidade liberada.

De acordo com informações do site do Terminal Concais, estão previstas 78 escalas para o Porto de Santos. Em alguns dias, haverá mais de dois cruzeiros, realizando o embarque e desembarque, como nos dias 29 de novembro, 3 de dezembro, 21 de março, 28 de março e 7 de abril.

Outro ponto que chama a atenção dos turistas é o Réveillon. O Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista (Condesb) decidiu que cada município vai determinar as regras para o Ano Novo.

Dessa forma, Santos, São Vicente, Guarujá, Praia Grande e Bertioga não vão realizar a queima de fogos. Enquanto Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe devem realizar o evento. “A decisão, será pautada através de tratativas entre os prefeitos e deverá ser anunciada nos próximos dias”, informou a Prefeitura de Itanhaém.

“A princípio o Poder Executivo deixará tudo pronto para realizar o evento, mas continuará monitorando os números da pandemia até 15 de dezembro para tomar esta decisão definitivamente”, citou a Prefeitura de Peruíbe.

Em relação à notícia de que o município de  Mongaguá realizaria a tradicional queima de fogos e aos shows, a Prefeitura informa que o tema está sendo estudado pelos departamentos de Saúde e Eventos. E, assim, até a presente data, não existe a confirmação de realização de fogos ou shows.

Máscaras

Pela primeira vez desde o início da pandemia da Covid-19, o governador João Doria admitiu a possibilidade da liberação do uso da máscara ao ar livre.

Segundo o tucano, provavelmente a nova medida será sancionada no dia 1 de dezembro. A decisão final deverá sair nas próximas semanas pelo Comitê Cientifico que vai avaliar os indicadores de casos e internações no Estado. O coordenador executivo do Comitê Cientifico, João Gabbardo, citou que as pessoas devem respeitar os protocolos para não comprometer a flexibilização prevista para dezembro.

Assim, até o fim de novembro o uso de máscara segue obrigatório em todos os locais em São Paulo. Em entrevista ao Jornal Enfoque/Manhã de Notícias, o ex-presidente da Anvisa, Gonzalo Vecina ressaltou que é natural a liberação do uso de máscara em ambientes abertos, porém, ele alertou o risco de aglomerações.

“É preciso tomar cuidado, pois quando muitas pessoas estão juntas, o aerossol fica retido no ambiente. A população brasileira precisa ter consciência”, finalizou. A Secretária de Saúde do Estado do Rio de Janeiro, por exemplo, já flexibilizou o uso da máscara em ambientes abertos. Entretanto, cada município do Estado fica livre para adotar a decisão final.

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.