Transporte

Vereadores criticam o transporte público em Santos

Tempo de espera, veículos lotados e higienização foram alguns pontos citados pelos parlamentares

31 de julho de 2020 - 17:11

João Pedro Bezerra

Compartilhe

Desde quando começou a pandemia, o transporte público em Santos vem sofrendo críticas por parte da população.

Uma das maiores reclamações é referente a diminuição na frota que consequentemente deixam os ônibus lotados em horários de pico, um perigo em tempos de pandemia.

O assunto foi um dos temas da 46° da Sessão Ordinária na Câmara dos Vereados realizada, nesta quinta-feira (30).

O vereador Carlos Teixeira Filho (PSDB) iniciou a discussão da mobilidade urbana. Segundo ele não é possível admitir a forma que o transporte público está sendo conduzido na Cidade

“Temos que tomar uma providência e realizar uma audiência trazendo o presidente da CET. Hoje um dia de chuva, os veículos  estavam lotados com vidros fechados no horário de pico”, concluiu o político.

Para o vereador Fabrício Cardoso (Podemos) é necessário uma união dos 21 parlamentares para cobrar providências da Piracicabana, responsável pelo transporte no município.

De acordo com o vereador Chico Nogueira (PT) não dá para ficar aguardando resposta da Piracibana enquanto a população sai prejudicada ” A gente fala toda hora de proteção e a empresa que fornece o transporte não faz a parte dela”.

Problemas 

Mesmo avançado para a fase amarela do Plano São Paulo, com a volta de importantes setores da economia, as linhas de ônibus continuam com um grande intervalo de tempo.

Os horários das saídas dos veículos não estão sendo mais disponibilizados no aplicativo ‘Quanto tempo falta?’

Além disso, basta pesquisar o mapa de ônibus em circulação para notar que algumas linhas estão com mais de 50 minutos de espera, como o: 80; 40; 10; 25; 05, entre outros.

Em pleno horário de pico, havia apenas um ônibus da linha 80

 

Seletivo

O Seletivo deixou de operar há alguns meses. Em nota a Prefeitura de Santos informou que a circulação dos seletivos foi interrompida em atenção às recomendações das autoridades de saúde, já que se tratam de veículos com janelas lacradas.

“O retorno dos seletivos está atrelado às orientações sobre as medidas sanitárias de controle e contenção do vírus. Cabe destacar que esse tipo de transporte é uma opção diferenciada oferecida à população. Todos os percursos, contudo, são cobertos por linhas de ônibus do sistema convencional, que segue operando em acordo com as diretrizes dos órgãos de saúde que têm norteado o funcionamento das várias atividades e setores no período de pandemia”, destacou a nota.

 

LEIA TAMBÉM: