Consenso | Boqnews
Foto: Isabela Carrari/PMS

Opiniões

11 DE FEVEREIRO DE 2022

Consenso

Por: Jairo Sergio de Abreu

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

Dificilmente um tema consegue agregar tanto a situação como a oposição na Câmara de Santos. O transporte coletivo municipal é uma exceção, diante de tantas queixas de usuários. Seja na falta de manutenção da frota, sujeira nos ônibus, problemas no ar condicionado e até a ausência de coletivos circulando.

Chamada

Diante desta situação, ficou decidido que o presidente da Comissão de Transportes, João Neri (União Brasil), irá convocar o presidente da CET e representante da concessionária do transporte coletivo para esclarecer as dúvidas dos edis.

Falhas não faltam

Autora da lei que obriga a fixação da data de fabricação dos veículos na porta dos ônibus, a vereadora Audrey Kleys (PP) é uma das que se queixam do serviço oferecido. “A lei não está sendo cumprida”, ressaltou durante o Jornal Enfoque – Manhã de Notícias. A edil também está preocupada com o tempo de vida da frota.

Números díspares

Afinal, a CET assegura que a média dos ônibus é de 2,7 anos. Mas pelo portal da transparência da CET, esta média seria bem maior: 5,28 anos. Afinal, dos 218 ônibus atuais (não contabilizados os 6 trólebus), 86 (quase 40%) estão prestes a completar 8 anos de circulação – ou seja, deverão deixar de circular nos próximos meses.

Frota menor

Outro assunto é a redução dos veículos em circulação. Conforme dados da CET de março de 2020, antes da pandemia, a frota de ônibus chegava a 287 unidades. Agora, 218. Redução de 24%.

Dinheiro na conta

Ainda que a desculpa seja a pandemia, a empresa vem abocanhando mensalmente – desde agosto passado – R$ 800 mil dos cofres municipais em forma de subsídio. E pede novo reajuste na tarifa.

E a máscara, ministro?

Durante passagem pela Prefeitura de Santos, o ministro Tarcísio de Freitas deveria dar o exemplo e cumprir as leis. Afinal, o uso de máscaras em locais públicos é obrigatório, mas ele simplesmente ignorou o acessório. Freitas é pré-candidato ao governo paulista.

Pegou mal

Aliás, durante passagem do ministro, o prefeito Rogério Santos o presenteou com a camisa da Portuguesa Santista. Até aí, tudo bem. O problema foi quando o edil disse que a Briosa ‘era o maior time da Cidade’. A torcida do Santos FC foi à loucura. A ponto do prefeito ter que ir às redes sociais para justificar sua fala.

De saída

Recém-homologado, o União Brasil, fusão entre PSL-DEM, já conta com uma baixa garantida: o deputado Paulo Correa Jr avisou que deixará a legenda por não concordar com a sua construção. “Muitos caciques e poucos índios”, disparou. Podemos, PSD, PP, MDB, Avante são alguns dos eventuais destinos do parlamentar, que tem até o início de abril para decidir seu futuro político.

Vai convidar

Aliás, Correa promete carregar parte dos 46 vereadores do DEM eleitos no litoral e Vale do Ribeira para seguirem seus passos na nova legenda. “Sou homem de partido”, enfatizou.

Porto

Presente à audiência pública sobre a desestatização do porto de Santos, Chico Nogueira (PT) já agendou para quarta (16) um encontro na Câmara para discussão do tema.

Soninho

Comitê de um deputado estadual santista costuma começar o expediente só a partir das 9h30.

Quem Responde?

Afinal,…
o uso de máscara em próprios públicos municipais está abolido?

 

 

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.