Esportes

Léo de Deus destaca a expectativa para as Olimpíadas em Tóquio

O atleta fará sua terceira participação nos Jogos Olímpicos

30 de abril de 2021 - 19:49

João Pedro Bezerra

Compartilhe

Dentre os atletas que vão representar o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio, está o nadador da equipe da Unisanta, Léo de Deus.

O atleta conseguiu o índice olímpico e garantiu vaga para a disputa dos 200 metros borboleta no Japão. Essa será a terceira participação do nadador na competição mais importante do esporte.

Nesta entrevista, Léo de Deus destaca os treinamentos e a expectativa para os Jogos.

O nadador conseguiu o índice olímpico para a disputa dos 200 metros borboleta/ Foto: Divulgação

Qual sensação de garantir vaga às Olimpíadas pela terceira vez?

É a realização de um sonho de criança. Nunca imaginei que poderia me tornar o atleta que eu sou hoje. Tenho mais uma chance de fazer aquilo que não consegui em Londres 2012 e Rio 2016, que é chegar numa final olímpica e poder disputar uma medalha.

Você é um nadador experiente. Como está seu físico e a mentalidade para a disputa em Tóquio?

Estou na minha melhor forma mental e física, porém sabemos que sempre tem o que melhorar. A seletiva serviu como parâmetro do que precisamos fazer de diferente e os ajustes necessários para conseguir o nosso melhor em Tóquio.

Nos Jogos do Rio, em 2016, você chegou até a semifinal. Qual sua expectativa para esse ano?

Com certeza, em 2012 não classifiquei para a disputa das semifinais. Já no Rio de Janeiro em 2016 fiquei em 13º lugar, mas sei que tenho capacidade de estar entre os oito melhores da prova, e estando na final tudo pode acontecer. Afinal, uma raia é uma chance!

Como foi lidar com a pandemia?

No início foi bem complicado em lidar com o adiamento dos Jogos. A dificuldade era se manter motivado, com as condições de treinamento que não tínhamos. Isso tudo foi bem difícil, mas agradeço a toda minha equipe que prontamente me ajudou a voltar ao foco de trabalhar duro para alcançar o objetivo de se classificar para as Olímpiadas.

Como foram os treinamentos, por mais um ano, já que as Olimpíadas eram para ser disputadas em 2020?

Tive que me adaptar as condições que nos eram colocadas. A falta de competições foi o ponto mais delicado. Mas temos que saber lidar com tudo isso e nos manter motivados, pois o mundo todo foi impactado pela pandemia do coronavírus.

Falando um pouco da sua carreira, sendo tri campeão panamericano e conquistando diversos títulos e medalhas, você se sente realizado na natação?

Com certeza, como falei anteriormente nunca imaginei que poderia chegar onde eu cheguei, a perseverança e o comprometimento foram fundamentais para minha carreira. Eu me sinto realizado e muito feliz pela linda história que venho construindo na natação. Contudo, sei que posso ainda mais e isso que me motiva e incentiva para continuar querendo ser melhor a cada dia dentro das piscinas.

No geral, como chega a natação brasileira para as Olimpíadas?

Sofremos muito nessa seletiva com atletas bons fora do time, mas acredito que por mais formemos um time pequeno nesses jogos vamos trazer o melhor que a natação brasileira tem, e com todas as dificuldades, fazer o nosso melhor em resultados individuais e em grupo.

Por fim, qual é o sentimento de representar o Brasil em tantas competições, mas especificamente nas Olimpíadas?

Um sentimento de dever cumprido, de que tudo valeu a pena, muita das vezes me sinto um super-herói do meu País. Representar o nosso povo na maior competição do mundo é um sentimento mágico!

 

LEIA TAMBÉM: