Muricy descarta aposentadoria e diz que se parar fica doente | Boqnews
Foto: Divulgação

São Paulo F.C

06 DE OUTUBRO DE 2014

Muricy descarta aposentadoria e diz que se parar fica doente

O treinador, que tem contrato com o São Paulo até o final da próxima temporada, retorna ao trabalho nesta segunda-feira (6) após ficar mais de dez dias afastado das funções

Por: Folhapress

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

O técnico do São Paulo, Muricy Ramalho, descartou encurtar seu contrato com o São Paulo após ter uma arritmia cardíaca e ficar internado na UTI. O treinador, que tem contrato com o São Paulo até o final da próxima temporada, retorna ao trabalho nesta segunda-feira (6) após ficar mais de dez dias afastado das funções.

“Não vai encurtar [contrato]. Como foram feitos os exames, minha preocupação era saber se eu tinha algo no coração. Se tivesse acusado alguma coisa já ia pensar em parar. Tenho contrato até 2015 e os exames mostraram que eu estou bem. Então é só diminuir a intensidade. Minha esposa está comigo há 34 anos e sabe o que eu penso. Ela não pede para eu parar porque é minha vida. Ela sabe que se eu parar é pior. Aí que eu vou ficar doente mesmo”, disse o treinador são-paulino em entrevista à rádio Jovem Pan.

Muricy Ramalho disse que não se sentiu bem logo pela manhã do dia 25 (um dia após o empate contra o Flamengo), mas não imagina que poderia ser algo grave.

“Estava em casa ainda pela manhã. Comecei a suar frio, ter tontura e sentir o coração batendo descompassado. Como eu nunca tive histórico não dei muita atenção e continuei a fazer o que estava fazendo. Fui para o CT, antes como sempre, só que nesse intervalo continuei igual. Cheguei no CT fiz o que tinha que fazer, mas não passava. Conversei com o médico e ele disse que eu tinha que ir para o hospital e lá fiquei. Eu sempre comento com minha esposa, mas é aquele negócio: ‘é só um mal estar’.
Só comentei com ela e ela pediu para eu ir para o hospital e eu não fui”, contou.

Na entrevista, o treinador criticou novamente o calendário do futebol brasileiro e a pressão que os técnicos sofrem. “O Brasil é um país enorme, muitas viagens. A cobrança é dura demais, descabida. Parece que o técnico é muito ocupado. Vimos o técnico do Arsenal completando 18 anos. Mesmo não ganhando nada o cara tá lá com o terno, cabelo bonitinho. Quando perde o único culpado é o técnico”, disse ele, afirmando que precisa ficar mais calmo.

“Tenho que me acalmar um pouco em relação à vida. Pensei nisso no hospital. Não dá para querer arrumar, é um vício. Eu sou desse jeito. Tenho que me acalmar um pouco. Têm várias pessoas que trabalham comigo, deixar eles trabalharem um pouco. Tenho que me acalmar”, completou.

Muricy não dirigiu o São Paulo na derrota para o Fluminense e na vitória sobre o Grêmio, pelo Campeonato Brasileiro, e também no triunfo sobre o Huachipato, pela Copa Sul-Americana.

Com a vitória sobre o Grêmio no último sábado (4), o São Paulo manteve a terceira colocação com 46 pontos, contra 47 do Inter-RS, vice-líder. Com 56 pontos, o Cruzeiro continua na liderança do Brasileiro.

A equipe volta a campo na quarta-feira (8), quando enfrenta o Atlético-PR, às 19h30, no Morumbi, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.