Foto: Divulgação/SFC

Esportes

03 DE SETEMBRO DE 2021

Peixe lida com crise financeira e maus resultados dentro de campo em 2021

Time precisa melhorar para fazer pazes com as vitórias

Por: João Pedro Bezerra

Em 13 de janeiro de 2021 o Santos vencia o Boca Juniors por 3 x 0 na Vila Belmiro e garantia vaga para a final da Copa Libertadores.

A classificação e o desempenho da equipe encheram os torcedores de orgulho, porém a partida marcou a última felicidade dos santistas até o presente momento.

A derrota diante do Palmeiras na decisão do torneio continental foi um choque de realidade para o Santos.

Afinal, a ótima campanha na Libertadores acabou abafando a situação financeira delicada do clube.  

Santos quase chegou ao tetra da Libertadores/Foto: Divulgação

Dessa forma, não demorou muito para os destaques da equipe vice-campeã se transferirem para o exterior.

As primeiras baixas no elenco foram as saídas do zagueiro Lucas Veríssimo (Benfica-POR) e do volante Diego Pituca (Kashima Antlers-JAP).

O até então técnico Cuca anunciou a saída do clube na penúltima rodada do Campeonato Brasileiro em fevereiro.

Pouco tempo depois, o camisa 10, Soteldo, foi vendido para o Toronto FC-CAN.  

É importante frisar que o Santos não lucrou com a venda do venezuelano, isso porque o clube ainda não havia pago o Huachipato-CHI, ou seja, o dinheiro da venda foi utilizado para quitar a compra do jogador que na prática não aconteceu.

Nesta janela de transferência, o Alvinegro Praiano vendeu o zagueiro Luan Peres (Olympique de Marselha-FRA), o atacante Kaio Jorge (Juventus-ITA) e o volante Alison (Al-Hazem-SAU). 

Com o time praticamente desmontado, o Santos passa por dificuldades e vive um ano para o torcedor esquecer. 

Quase rebaixado 

O Santos não teve férias. Com a vaga garantida para a Pré-Libertadores e o início do Campeonato Paulista, três dias depois do fim do Brasileirão, o time teve uma maratona de jogos.

A diretoria contratou o técnico argentino Ariel Holan que conseguiu a classificação para a fase de grupos da Libertadores, contudo praticamente abriu mão do estadual, colocando o time reserva e muitos garotos em campo.

Assim, o clube colecionou derrotas na competição. Ariel Holan não aguentou a má fase no Paulistão e pediu para sair.  

Holan ficou durante pouco tempo no clube/Foto: Divulgação/SFC

Com o técnico interino Marcelo Fernandes e a volta dos titulares, as dificuldades permaneceram e o Santos chegou na última rodada com chances de ser rebaixado no estadual, algo inédito.  

O Peixe não podia perder a partida para o São Bento, adversário direto na luta pela permanência na elite.

Para a sorte dos santistas, Lucas Braga e Kaio Jorge fizeram os gols que salvaram o Alvinegro Praiano do vexame. 

Diniz e eliminações 

O técnico Fernando Diniz chegou em abril ao clube com a difícil missão de conseguir a classificação para as oitavas de final da Copa Libertadores, que não aconteceu, e pela segunda vez em sua história, o Santos foi eliminado na fase de grupos.

A dor só não foi maior, pois o time ficou em 3° lugar no grupo, garantindo vaga para a disputa da Copa Sul-Americana.  

Apesar da eliminação na Libertadores, o começo de Fernando Diniz no Santos foi bom, dentro das expectativas, com grandes vitórias diante do São Paulo e Atlético/MG, ambas por 2 x 0.  

O Peixe chegou a beirar o G-6 do Brasileirão, mas a fase piorou nos últimos jogos e a equipe caiu para a 12° colocação, faltando uma rodada para o fim do 1º turno.

Já são quatro partidas sem vitórias no Campeonato Brasileiro, além da eliminação da Copa Sul-Americana contra o Libertad e da derrota na primeira partida das quartas de final da Copa do Brasil diante do Athletico/PR.  

Santos parou nas quartas de final no Paraguai diante do Libertad/ Foto: Divulgação

O atual cenário preocupa o torcedor santista, principalmente a forma que a equipe joga com muitos erros individuais e pouca criatividade no ataque.

A goleada sofrida contra o Flamengo por 4 x 0, a pior na Vila Belmiro desde 2008, escancarou as dificuldades e o momento delicado do Peixe.

A pressão sobre Fernando Diniz aumentou, e caso os resultados não melhorem nos próximos jogos, sua demissão não seria surpreenderia. 

Outro ponto que irrita a torcida é a forma como Fernando Diniz trata os jogadores dentro de campo, com gritos e palavrões. Inclusive nesta semana em uma entrevista para o canal Podpah, o ex-jogador do São Paulo Tchê Tchê revelou mágoa, após ser desrespeitado pelo treinador que ofendeu o atleta com as palavras “perninha”, “mascaradinho” e “ingrato”. 

Equilibrar as contas 

A questão financeira é um dos motivos para a má fase dentro de campo.

O presidente Andrés Rueda, que assumiu o cargo no início do ano, tem uma política de pagar as dívidas do clube, sem investimentos para não prejudicar o orçamento que já está comprometido.

A dívida do Santos é de aproximadamente R$ 500 milhões, das quais algumas precisam ser pagas a curto prazo.

Sem renda de público durante a pandemia e algumas contratações de jogadores que não deram certo em anos anteriores, o Santos busca equilibrar as contas para voltar a ser competitivo no mercado.  

Enquanto isso, a diretoria busca reforços pontuais e apostar em alguns atletas. Marcos Guilherme e Camacho foram alguns que ganharam espaço no time titular.

Já Vinícius Zanocelo e  Moisés ainda tentam se afirmar.

Recentemente, o clube acertou a contratação de cinco jogadores: Augusto Gálvan, Léo Baptistão, Diego Tardelli, Jandrei e Emiliano Velázquez, que vão agregar valor ao elenco. 

Léo Baptistão é uma das apostas da diretoria para o restante da temporada/ Foto: Divulgação/SFC

O que esperar? 

Com as novas contratações, a expectativa da torcida é que o Santos tenha uma reação no Brasileirão.  

Para muitos torcedores, a vaga para a Libertadores é difícil, mas não improvável, haja visto que podemos ter um G-8 novamente no campeonato.

Grande parte da torcida também tem medo da Série B, mesmo que o Santos não esteja no Z-4 é preciso ficar atento, pois uma série de derrotas pode fazer o Peixe despencar na tabela.  

Na Copa do Brasil, o confronto diante do Athletico/PR está em aberto.

O Santos precisa vencer por dois gols de diferença para conquistar a classificação ou vencer com a diferença mínima e conquistar a vaga nos pênaltis.   

Quem passar enfrentará provavelmente nas semifinais o Flamengo, que goleou o Grêmio por 4 x 0 no primeiro jogo, em Porto Alegre, ou seja, a missão para alcançar uma vaga na decisão nacional será bem árdua. 

 

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.