Copa SP

Santos coleciona vexames nas últimas edições da Copinha

Desde 2015, o Peixe só avançou para as quartas de final na edição de 2018

13 de janeiro de 2020 - 13:48

João Pedro Bezerra

Da Redação

Compartilhe

Nas últimas seis edições da Copa SP de Futebol Jr, o Santos repetiu o mesmo script.

Excluindo a edição de 2018, quando avançou para as quartas de final e perdeu para o Internacional (RS) por 4 a 0, a equipe do litoral foi eliminada nas primeiras fases da competição.

A equipe perdeu nos pênaltis para a Ponte Preta, após o empate em 1 x 1 no tempo normal.

Apesar das péssimas condições do gramado do estádio Breno Ribeiro do Val por conta da chuva em Oswaldo Cruz, no interior paulista.

O Alvinegro Praiano era favorito e comandou as ações do jogo.

Porém, a postura ofensiva não resultou em gols.

A Macaca abriu o placar logo no começo do jogo.

O empate do Santos veio na etapa complementar, com gol de Ivonei.

Na disputa por pênaltis, Wesley, Lucas Henrique e Marcos Leonardo desperdiçaram as cobranças do Peixe e o duelo terminou em 3 x 2 para a Ponte Preta.

Mesmo vencendo as três partidas na primeira fase jogando em Marília, sendo duas vitórias por goleada, não dava para ter uma ideia até onde a equipe poderia chegar.

Pelo simples fato do baixo nível técnico do grupo, composto por: Timon-MA, Olímpico-SE e Marília-SP.

Vale lembrar que o Santos também foi prejudicado por sair da sede, mesmo na liderança do grupo.

A Federação Paulista transferiu o jogo para Oswaldo Cruz.

Motivo:  o estádio em Marília não tinha os laudos de seguranças, exigidos pelo Corpo de Bombeiros.

A eliminação para Ponte só escancara os maus resultados da base do Santos nos últimos anos.

Em 2019, a equipe sub-17 ficou na antepenúltima colocação no Brasileirão (de um total de 20 clubes), com uma vitória em 9 jogos.

Já o sub-20 terminou o campeonato nacional na 13° colocação (com a mesma quantidade de times).

Resultados na Copinha

Após os títulos em 2013 e 2014, o Peixe não conseguiu mais ficar entre os protagonistas da competição.

Em 2015, o time foi eliminado na fase de grupos, perdendo o último jogo para o Linense por 2 x 1.

Na edição seguinte, o Santos caiu na segunda fase para o Ceará nos pênaltis.

Já em 2017, a equipe chegou aos trancos e barrancos na terceira fase quando parou no Avaí.

Em 2018, os Meninos da Vila até que fizeram uma boa campanha chegando às quartas de final.

Porém, a goleada sofrida para o Internacional por 4 x 0 deixou claro que a base do Santos não está no mesmo nível de antes.

Por fim, no ano passado, a equipe não conseguiu passar da fase de grupos em uma chave com Sergipe, São Caetano e União Mogi.

O Santos chegou na 3° colocação, só vencendo a equipe do Nordeste.

 

Equipe do Santos até fez um bom jogo, mas parou nos pênaltis. Foto: Divulgação

Títulos não revelam craques, nem campanhas ruins

Assim, nas redes sociais, muitos torcedores do Santos ‘passaram pano’ para a eliminação da equipe, dizendo que Robinho e Neymar não ganharam o torneio também.

Mas em termos de comparação, essa teoria é bem relativa.

Na época de Robinho, o Santos caiu para o Flamengo.

Já com Neymar e Ganso em 2008, a eliminação veio nas quartas de final para o Internacional nos pênaltis, após o empate em 3 x 3.

O atacante do Colorado, Walter, famoso por ser artilheiro e estar acima do peso, brilhou naquele confronto.

Além disso, é verdade também que quando o Santos conquistou os títulos em 2013 e 2014, nenhum jogador chegou ao patamar de Robinho e Neymar.

Mas na campanha dos títulos deu para colher bons frutos.

Casos de Gustavo Henrique (hoje no Flamengo), Alison (Santos), Émerson (Chelsea), Léo CIttadini (Athletico Paranaense) e Zeca (Bahia).

No entanto, alguns jogadores decepcionaram no profissional como Neilton, Paulo Ricardo.

E ainda: Lucas Otávio, Pedro Castro, Giva e Stéfano Yuri.

Além disso, o atacante Gabigol tinha idade para estar no elenco.

Mas a jovem promessa já atuava no profissional em 2013 e 2014.

Rodrygo, que hoje está no Real Madrid, viveu a mesma situação de Gabigol.

Em 2018, o novo ‘Raio’ já fazia parte do elenco profissional.

O atacante poderia ter levado o Santos ainda mais longe na competição.

Assim, dos jogadores que estavam na campanha  Kaio Jorge e Tailson se destacaram fazendo parte do time principal.

Dessa forma, para a torcedora do Santos, Lívia Abreu, 20 anos, é um vexame o Santos ser eliminado pelo tamanho da sua história.

Mas ela ressaltou.

“Apesar da eliminação, creio que dá para colher bons frutos dessa geração como: Lucas Lourenço e Marcos Leonardo”.