Centro Histórico é cenário ideal para produções audiovisuais | Boqnews
Foto: Susan Hortas/PMS Produção audiovisual no Centro Histórico

Santos Criativa

25 DE JANEIRO DE 2020

Centro Histórico é cenário ideal para produções audiovisuais

Cidade tem relevância mundial na categoria cinema, graças à preservação de ambientes e riqueza histórica, especialmente no Centro

Por: Ana Carol

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

A Cidade de Santos é cativante com cenários repletos de beleza, ideais para contemplação. Mas quando se fala do Centro Histórico o destaque é ainda maior, pois o local pode ser denominado como um cenário a céu aberto.

A iluminação das ruas, os imóveis antigos e os paralelepípedos no chão transportam quem passa por lá para outra época.

A partir disso, a região é muito procurada para ambientações de produções audiovisuais – filmes, séries, comerciais, entre outras.

Visando fomentar o trabalho audiovisual no Centro, a Santos Film Commission surgiu em 2005 como órgão municipal para, sobretudo, mediar a relação entre infraestrutura da Cidade com as necessidades dos sets.

A comissão iniciou os projetos somente em 2007 e, até os dias atuais, registrou aproximadamente 600 trabalhos rodados na Cidade.

Produções

Dados da Prefeitura de Santos destacam a rodagem de 227 filmes publicitários; 9 novelas; 30 documentários; 93 curtas-metragens; 25 longas-metragens; 40 videoclipes; além de 59 programas de TV; 45 produções acadêmicas e, ainda, ensaios de moda e editoriais de revistas, nacionais e internacionais.

No primeiro semestre de 2019, a Rede Globo escolheu o cenário do Centro Histórico para gravar as minisséries Hebe e Onde Está Meu Coração, além da atual novela das 18h, Éramos Seis.

Já a Netflix, gravou a série Coisa Mais Linda. Anteriormente, destaques para as minisséries Um Só Coração (2004) e JK (2006) e a novela Ciranda de Pedra (2008), além de inúmeros comerciais.

Além da preservação do patrimônio histórico local e do apoio da Santos Film Commission, a Cidade tem proximidade com a capital paulista, sendo de fácil acesso.

A infraestrutura urbana para abrigar equipes e elencos tornar o município ainda mais atrativo.

A utilização do Centro como cenário, além de valorizar a Cidade, movimenta a economia local. Isso porque, serviços de hotelaria; restaurante; comércio; segurança; agências de elenco; figuração; e de aluguel de carros antigos, por exemplo, são requisitados.

 

Produção audiovisual no Centro Histórico

A Rua do Comércio foi escolhida para o Hotel dos Viajantes, parte da novela Éramos Seis, em exibição. A produção que retrata as décadas de 1920 e 1930 e movimentou a economia local. Foto: Susan Hortas/PMS

Santos Criativa

A bagagem histórica e cultural, bem como a qualidade de vida, colocam Santos em destaque no cenário nacional e internacional.

Essa visibilidade proporcionou o título de Cidade Criativa, dado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), atrelado a um conceito surgido na década de 90.

Na época, o surgimento do projeto Nação Criativa englobava cidades com a forte característica de se reinventar e progredir, criando assim uma nova categoria: a economia criativa.

Desde 2004, a Unesco detém a Rede de Cidades Criativas da qual Santos faz parte desde 2015 na categoria cinema. Assim, foi a primeira cidade não capital de um estado a receber tal reconhecimento.

Alguns fatores justificam o reconhecimento do município, como o maior número de cinemas por habitante da região, cursos superiores e livres, qualificação profissional, festivais ligados à área – citando o Curta Santos como exemplo, desenvolvidos por grupos culturais – entre outros.

Posteriormente, entre os dias 13 e 17 de julho deste ano, Santos receberá a 14ª Conferência Anual da Rede de Cidades Criativas, pela primeira vez na região da América Latina e Caribe.

O evento visa fomentar parcerias entre os municípios e discutir maneiras de aproveitar o potencial de cada um para reduzir desigualdades no mundo, conforme o conceito de economia criativa da Unesco.

Rede Criativa

Atualmente, 246 cidades de todo o mundo são credenciadas na Unesco, divididas nas categorias Artesanato e Artes Populares; Artes Midiáticas; Filme; Design; Gastronomia; Literatura e Música.

No Brasil, outras nove cidades fazem parte do grupo. Belém (PA), Belo Horizonte (MG), Florianópolis (SC) e Paraty (RJ), na gastronomia; Brasília (DF), Fortaleza (CE) e Curitiba (PR), no design; João Pessoa (PB), em artesanato e artes populares; e Salvador (BA) na música.

Neste fim de semana, representantes das cidades – exceto Belém e Brasília – vieram a Santos para conhecer os locais do encontro, planejar ações e, além disso, prestigiar o Baile Oficial no sábado (25), no Mendes Convention Center.

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.