ETC
etc

Começa nesta quinta (18) a III Mostra de Teatro do Sindicato dos Metalúrgicos, em Santos

Começa nesta quinta-feira (18), a III Mostra de Teatro do Sindicato dos Metalúrgicos que tem como finalidade abrir espaço para grupos de teatro da…

17 de agosto de 2011 - 12:38

Da Redação

Compartilhe

Começa nesta quinta-feira (18), a III Mostra de Teatro do Sindicato dos Metalúrgicos que tem como finalidade abrir espaço para grupos de teatro da região mostrarem seus trabalhos para a comunidade santista a preços populares.


Na noite de abertura, que acontece nesta quinta (18) às 20 horas, no Sindicato dos Metalúrgicos (Av. Ana Costa, 55), haverá música, performances, artes plásticas e homenagem ao diretor santista Tanah Correa, seguido de coquetel com entrada gratuita.


A programação continua até dia 28 de agosto, sempre às 20 horas, com ingressos à R$10,00 (inteira) e R$5,00 (meia)



Programação:


18 | Noite de Abertura
Homenagem ao Tanah Correa, que iniciou sua carreira no teatro estudantil, e veio a se firmar na Região em produções cênicas em 77. Trabalhando no Sindicato, teve que se retirar para São Paulo por conta da censura. Na capital, profissionalizou-se em seu primeiro trabalho com texto de Dias Gomes (1922-1999) e contracenando com Regina Duarte. Na área política, foi o primeiro secretário de Cultura de Santos em 85.
Ator, produtor e diretor de inúmeras peças, filmes e novelas, Tanah compartilha de sua paixão pelas artes com sua família, em especial, seu filho, o ator global Alexandre Borges.


19 | Para um Amor de Vinícius – Grupo de Arte Supernova
No enredo, uma seleção de cenas que retratam o cotidiano de casais apaixonados embalados por canções de Vinícius de Moraes. Emoções como a eloquência, a saudade e a sensualidade são despertadas nos diálogo das personagens, baseados nos românticos versos do poeta. Direção: Ricardo Menezes.


20 | Com a Cara Pintada e o Pé na Rua – Quarteto Trio Los Dos
Formado por dois palhaços malabaristas, um percussionista/manipulador de objetos e um guitarrista, o grupo apresenta um espetáculo de variedades em que as técnicas circenses são apresentadas por palhaços de maneira cômica, com efeitos sonoros ao vivo e grande interação com a platéia.


21 | Cenas Furiosas – Egberteatro
Vários atores sobem ao palco em diversas situações abordando sentimentos distintos do comportamento humano e suas relações, como a solidão e a crise, a loucura e o amor. Direção: Egbert Mesquita e Admir Ferreira.


24 | Noite de Cenas: 


TOC Cia. Elefante em Cena
Inspirada na linguagem cênica de In On It (de Daniel Maclvor), a cena ambientada enquanto Márcio escreve sua mais nova peça teatral, apresenta Bia que discute a relação transtornada, obssessiva e compulsiva dos dois personagens. Direção: Marcus Di Bello.
Bodas de Sangue – Grupo Hífen
Esta adaptação da obra original de Federico García Lorca tem como foco uma de suas mais instigantes personagens, a Noiva. Ao ter seus dois amantes mortos em um duelo, a Noiva volta à cidade para confrontar a sociedade e a Mãe de seu noivo. Direção: Renan Valdez e Camila Lovecchio.
O Refúgio de Anne – Grupo Anne
Em algum canto do anexo secreto, Anne escreve seu diário, conversa com a boneca, sonha com os atores de cinema, canta, dança e reza. A ação se passa no último dia de confinamento, antes da família Frank ser descoberta por oficiais alemães e de ser levada para um campo de concentração. Direção: Celina Sodré.
Geni – Cia. Elefante em Cena
A partir de textos de Chico Buarque e José Wilker, a cena é construída com elementos do distanciamento, desenvolvidos por Brecht. Geni, estuprada aos nove anos pelo tio, é julgada por uma sociedade opressora. Por meio do teatro épico, a atriz levanta questionamentos sobre a personagem e reflete com a plateia as suas ações. Direção: Marcus Di Bello.
As Escravas – Grupo Presepada
Com texto de Castro Alves, a cena descreve uma escrava que deseja a liberdade e outra que quer dar a alforria ao seu filho. Em ambas as histórias, a morte pode ter caminho para esse objetivo. Direção: Alex Félix.
Carta 2070 – Grupo Recriapalhando
Baseado no texto publicado na revista Crônica de Los Tiempos, a cena tem como temática o meio ambiente. O desenvolvimento desregrado faz com que a população em 2070 viva com escassez de água. Direção: Maria Luiza de Paiva Diniz e Augusto César Estevam.


25 | Conte-me mais sobre isso: Um Ensaio sobre a Loucura Contemporânea – Silia e Ceci Dance Theatre
O consultório de psicanálise Silia e Ceci está contratando pessoas interessadas em trabalhar com loucura contemporânea. A plateia, colocada o tempo todo como candidato irá conhecer por meio do Dr. Doutorra os pacientes do consultório e um pouco de suas loucuras. Devaneios que apesar de estarem exposta em um divã são mais comuns do que imaginamos. Direção: Eduardo Ferreira


26 | Depois de Tudo – Grupo Peões em Cena
Adaptado de vários poemas de Wladimir Mayakoviski, Castro Alves, entre outros, que visa a valorização da palavra. O espetáculo está centrado sobre o trabalho do ator, e se propõe a discutir a importância do trabalho braçal e intelectual por meio das figuras do poeta e do operário. Direção: Tin Urbinatti.


27 | Pesadelo – Grupo Peões em Cena
O espetáculo narra a história de José, chefe de seção de uma grande indústria metalúrgica, durante um processo de demissão em massa. Enfoca seus pesadelos ao se deparar com a mobilização e organização dos trabalhadores. Revela ainda seus conflitos com a esposa que se envolve na causa trabalhista. Direção: Tin Urbinatti.


28 | Noite de Cenas:


As Tias – Cia. TEMETAL
Com texto do autor de novelas Aguinaldo Silva, a cena cômica narra a história de três tias que vivem a interromper a vida amorosa do seu único sobrinho. O rapaz se vê obrigado a tentar agradar as tias, ao mesmo tempo em que quer se livrar de suas proibições no amor. Direção: Carlos Bellini.
Valsa nº 6 Grupo – Os Impossíveis
Baseado no texto de Nelson Rodrigues, a cena mostra o grau de esquizofrenia da personagem ao relatar e imitar uma mãe que, ao ver a filha quase morrendo, em atitude de desepero chama o médico. Logo se nota o avançado grau da dupla personalidade da personagem.
Momento de Sobriedade – Grupo Artístico Manamanah
Este monólogo poético num só ato nos mostra o nascimento das tragédias gregas, a decadência da Grécia Antiga e a ascensão de Roma. O texto, além de falar sobre a mitologia e a valorização de Dionísio, também aborda os vícios e o alcoolismo. Direção: Vall Carthom.
Convite para um Café – Cia. Teatro Delivery
É uma comédia dramática sobre pessoas querendo se apai-xonar. O engenheiro Sérgio vive a maior paixão de sua vida:  encontra na idílica Vânia sua princesa encantada. Ele cre haver encontrado a mulher com quem se casará. Mas quanto mais a quer, mais ela se afasta. Direção: André de Araujo.
Sofia – Grupo Artístico Manamanah
Sofia retrata em seu enredo a dor, a angústia, a tristeza e o medo dos últimos momentos de uma pré-adolescente ao lado de um sujeito desalmado. A cena se desenvolve a partir da exposição pública de casos de pedofilia envolvendo médicos, sacerdotes e professores, cidadãos de comprotamento social e profissional ‘acima de qualquer suspeita’. Direção: Vall Carthom.

LEIA TAMBÉM: