ETC
Personagem

Você sabe como surgiu a previsão do tempo no rádio e TV no Brasil?

A origem começou em 1963, quando Narciso Vernizzi foi convidado pelo dono da Rádio Panamericana, Antonio Augusto Amaral de Carvalho, o Tuta.

11 de junho de 2021 - 12:48

Da Redação

Compartilhe

Programa contou com a presença dos jornalistas Celso Vernizzi e Luiz Lombardi. Reprodução

 

Falar em previsão do tempo é associar à família Vernizzi.

Inicialmente, com Narciso, o Homem do Tempo, slogan que ficou conhecido no rádio paulista e nacional desde os anos 60, e depois pelo seu filho, Celso, também jornalista.

E, assim, conhecer um pouco da história como surgiu a previsão do tempo nos meios de comunicação no Brasil passa obrigatoriamente por eles.

Dessa forma, uma verdadeira aula sobre previsão do tempo foi ensinada por Celso Vernizzi, que mantém o slogan usado pelo seu pai ao longo de décadas, agora nas redes sociais e emissoras de rádio pelo interior, além de presença diária no programa Jornal Enfoque – Manhã de Notícias.

Ele participou do programa da última quinta (10), que teve também a participação do jornalista Luiz Lombardi, que durante anos foi assessor de imprensa do técnico Vanderlei Luxemburgo.

Conforme Vernizzi, tudo começou em 1963, quando o empresário Antonio Augusto Amaral de Carvalho, o Tuta, proprietário da Rádio Panamericana (Jovem Pan)/TV Record, filho do empresário Paulo Machado de Carvalho, chamou Narciso para propor-lhe mudanças na programação da emissora, com a introdução da prestação de serviços no rádio, iniciando pela previsão do tempo.

Prestação de serviços

“À época, o rádio era mais esportivo, musical e com radionovelas. Tinha pouca prestação de serviços”, lembra Vernizzi.

Assim, o primeiro passo determinado pelo empresário foi a introdução da previsão do tempo na emissora, missão a qual Narciso foi incumbido em razão da sua criatividade.

“Ele (Tuta) falou para meu pai: ‘tempo era alguma coisa que não existe. Então, você vai tratar disso no rádio’ “, relembra.

“Na ocasião, a previsão era voltada apenas à área rural. Nada havia para a população das cidades”, recorda.

Assim, Narciso foi em busca de informações junto à FAB – Força Aérea Brasileira, cujo Departamento de Meteorologia tinha os melhores recursos para proteção aos aviões.

“Ele foi buscar informações junto aos oficiais para ver como se faziam as cartas sinóticas”diz. Trata-se de  uma representação gráfica do campo de pressão atmosférica à superfície.

E assim, ele começou a interpretar aqueles desenhos estranhos para os leigos, mas de alto poder de informação para o cotidiano das pessoas – seja no campo, seja nas cidades.

Na caneta

“Era tudo na base da caneta. De hora em hora, os aeroportos espalhados pelo País divulgavam os metares (Meteorological Aerodrome Report – informe meteorólogico regular de aeródromo)”, lembra.

O metar é um informe codificado, associado às observações meterológicas e utilizado para fornecer informações sobre as condições do tempo, como vento, pressão atmosférica, temperatura, em um aeródromo.

Assim, por meio destas informações era possível interpretar as condições e alterações climáticas, o que acabou transformando o sobrenome Vernizzi em sinônimo de credibilidade em previsão do tempo, a ponto de fazer jus ao slogan O Homem do Tempo até hoje.

 

Outros temas

O programa, apresentado pelo jornalista Francisco La Scala, também abordou temas como Covid, CPI, desenvolvimento regional, em especial no litoral sul.

Confira o programa completo

 

LEIA TAMBÉM: