ETC
Faça você mesmo

Fazer artesanatos se tornou fonte de renda na pandemia

A ideia é apostar na criatividade e habilidades com materiais de artesanato que você tenha mais afinidade, usando-os como uma forma de ganhar dinheiro

16 de setembro de 2020 - 12:06

Da Redação

Compartilhe

Nesta quarentena muitos hábitos mudaram, outros voltaram com tudo para auxiliar nos afazeres domésticos e de lazer, estando boa parte do tempo em casa.

Com 40% dos brasileiros com a renda mensal afetada, a solução encontrada por muitas pessoas foi buscar soluções práticas para driblar os efeitos da crise financeira, pelo menos, para ajudar no orçamento, mesmo com ajuda do governo.

Diante disso, apostar em artesanatos para vender se tornou uma fonte de renda durante e após a pandemia da Covid-19.

As atividades manuais não são somente usadas por pessoas mais velhas.

Afinal, muitos adolescentes e até crianças têm aprendido técnicas de variados estilos.

O que para muita gente era apenas um hobby, hoje é uma ótima ideia para gerar uma renda extra, como também para abrir um negócio.

Portanto, os modelos de artesanatos são bem variados, desde os tradicionais crochê, tricô e pinturas; até a costura criativa, patchwork, trabalhos com colagens e pinturas.

A ideia é apostar na criatividade e habilidades com materiais que têm mais afinidade, usando-os como uma forma de ganhar dinheiro.

 

Confira dicas úteis para você ter uma renda extra com artesanatos. Foto: Divulgação

Artesanatos mais vendidos na pandemia

 

Confira algumas ideias de artesanato que foram mais produzidos e vendidos durante este período de isolamento social.

 

Crochê

O crochê é um dos artesanatos mais usados, e hoje tem gente ainda aprendendo as técnicas para criar lindas peças.

Hoje ele é usado para decoração de casas, roupas e acessórios, trazendo novas constituições de fios, uns mais delicados e outros mais resistentes para determinados produtos.

Sendo assim, muitas pessoas estão transformando a prática de fazer crochê um negócio próprio, com produção em casa e vendas pelas redes sociais.

 

Bijuterias

Quem não gosta de uma bijuteria, não é mesmo?! Por haver essa demanda é que as pessoas viram a potencialidade de criar acessórios.

Com materiais fáceis de encontrar que ajudam na confecção e colagem das peças, esse é um ramo promissor para ser inserido.

Basta usar a criatividade, apostar em um melhor jeito de criar os designs dos colares, pulseiras, brincos e demais acessórios.

Esse é um produto que abrange desde o público feminino até o masculino, pois muitos homens gostam de andar na moda com acessórios como pulseiras e anéis.

O interessante é que não precisa de muito investimento de material, e mesmo que sejam objetos minúsculos como os strass, existem colas com aplicadores de bico fino que ajudam a aplicar o detalhe, sem pequenos acidentes com colagens, pois é o tipo de situação super rápido e fácil de resolver.

E mesmo que a cole agarre na pele ou cabelo, há diferentes formas de limpar.

 

Kit máscara de proteção

As máscaras são objetos essenciais neste ano de 2020, por isso, a alta produção do acessório esteve aquecida nesta quarentena.

Isso foi motivo para grandes empresas têxteis empreenderem, apostando na confecção própria e revendendo em lojinhas de bairro.

A maioria dos estabelecimentos e pessoas já têm ou conhecem alguém que produz máscara de proteção.

Neste sentido, a produção de máscaras de tecido foram as mais escolhidas, tendo uma durabilidade alta e material acessível para fazer.

Algumas são apenas coladas com uma cola de tecido ou cola universal, garantindo qualidade e baixo custo benefício do produto.

Para vender os produtos artesanais, as redes sociais se tornaram o principal meio de comunicação, além de ser um investimento considerado baixo para divulgação, principalmente quem está iniciando seu próprio negócio.

LEIA TAMBÉM: