nacional

Baixada Santista poderá ganhar três estaleiros

A Baixada Santista deve ganhar três novos estaleiros nos próximos anos, ancorados principalmente pelos planos de investimentos da Petrobras e…

28 de abril de 2009 - 16:47

Da Redação

Compartilhe

A Baixada Santista deve ganhar três novos estaleiros nos próximos anos, ancorados principalmente pelos planos de investimentos da Petrobras e pela expansão do setor de Petróleo e Gás na região. A afirmação é do secretário executivo da Comissão Especial de Petróleo e Gás Natural (Cespeg), José Roberto dos Santos. Ele participou do Seminário Gás na Economia na manhã desta terça-feira (28), em Santos (SP), onde apresentou o painel Estaleiros no Litoral Paulista – Uma oportunidade.


Segundo Santos, a região da Baixada Santista tem vocação para receber um estaleiro de grande porte e dois de pequeno porte. Entre as áreas identificadas com vocação para instalação dos estaleiros, estão São Vicente, Cubatão, Bertioga, São Sebastião e Caraguatatuba. “Os planos do Governo do Estado são de transformar a Baixada Santista em um grande pólo naval, aproveitando o enorme potencial criado com exploração de petróleo e gás na Bacia de Santos”.


Nesse contexto, são necessários a criação de um parque tecnológico na região, com a instalação de fornecedores de equipamentos e navipeças, a implantação de bases de apoio e a oferta de cursos na área naval para capacitação de mão-de-obra.


No trabalho executado pela Cespeg,  Santos e Cubatão estaria voltada para a construção de navios de grande porte, sondas e plataformas, como já ocorre no Rio de Janeiro. Já Bertioga e São Sebastião têm perfil mais voltado para embarcações menores, tipo supply boats, com maior valor agregado. O secretário afirmou, ainda, que há oportunidades também em outras áreas, como cabotagem e embarcações.


Atualmente, está em andamento pela Secretaria de Desenvolvimento do Estado de São Paulo um projeto de contratação e elaboração para Avaliação Ambiental Estratégica das áreas identificadas para instalação dos estaleiros. A Secretaria também realiza um estudo de vocações, vantagens e benefícios econômicos e sociais para a região da Baixada.


O próximo passo é a assinatura do Termo de Cooperação entre o Governo do Estado, Prefeituras e áreas identificadas, como Cubatão, Santos, Bertioga e São Sebastião. Em uma terceira etapa, será assinada uma Carta de Intenção entre investidores e proprietários das áreas definidas. José Roberto dos Santos estima que até julho seja apresentado o relatório final da Cespeg com o projeto para o pólo naval da Baixada Santista.


 

LEIA TAMBÉM: