Planos de Saúde são obrigados a oferecer testes de gripe e covid, informa ANS | Boqnews
Foto: Nando Santos

Saúde

29 DE ABRIL DE 2022

Planos de Saúde são obrigados a oferecer testes de gripe e covid, informa ANS

Na Unimed Santos, cartazes informam que testes são oferecidos apenas “para pacientes graves e internados”

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

Apesar da vacinação em massa e a diminuição do número de casos, internações e óbitos, o coronavírus não pode ser subestimado. Afinal, a doença já causou uma enorme cicatriz na população.
Grande parte dos brasileiros conhecem pelo menos uma pessoa próxima que acabou sendo vítima da covid-19. Dessa forma, o País já soma mais de 663 mil mortes pelo vírus. Uma das formas mais eficientes para evitar um novo aumento na curva de casos, internações e mortes é a testagem que permite que a pessoa infectada fique em isolamento, não transmitindo o vírus para familiares, colegas ou companheiros de trabalho.

O alerta é que os testes positivos para o coronavírus aumentou no Brasil. Na última semana de março, 7,28% dos testes foram positivos. Nas duas primeiras semanas de abril, o índice chegou em 9,31%. Os dados são da ABRAFARMA.

Planos de saúde

Em Santos, muitas pessoas estão encontrando dificuldades para realizar o teste de Covid-19. A professora Amanda Santos teve o exame de covid-19 negado pela Unimed, a qual é cliente em plano individual.

Ela conta que procurou o atendimento médico, após sentir sintomas de uma forte gripe, entretanto a empresa colocou cartazes em sua unidade (ver foto) informando que realizava apenas teste em pacientes graves e internados. Com isso, a professora precisou procurar uma farmácia no bairro do Campo Grande e pagou pelo teste que custou R$ 69,99.

Nota do teste de covid-19 na farmácia/Foto: Divulgação

Em nota, a Unimed informou que mantém a realização de testes para diagnóstico da Covid, adotando critérios, que remetem à testagem de pacientes que apresentam comorbidades, que pertencem a grupos de risco ou que se encontram internados.

“O cuidado seletivo leva em conta a preocupação em garantir a disponibilidade de testes para atender pacientes mais susceptíveis a agravos. A recente insuficiência na oferta global de testes e insumos acendeu um alerta, exigindo medidas de ajuste em relação à ampla testagem, que vinha sendo praticada pela Cooperativa”.

Já na Blue Med Saúde, para fazer o teste de covid-19 é preciso passar antes pelo médico que irá avaliar a condição e a necessidade de o paciente realizar o exame.

A reportagem ainda aguarda a resposta do Plano Santa Casa.

Prefeitura de Santos

Se os planos se negam, no poder público a situação é diferente. A Prefeitura de Santos informou que desde o dia 11 de abril, todas as policlínicas da cidade estão oferecendo o teste de antígeno, das 8h às 14h.

Para ter acesso ao exame, cujo resultado sai em 15 minutos, é necessário apresentar sintomas da doença. As policlínicas atenderão apenas os munícipes que moram em seu território de abrangência, atendendo à Política Nacional de Atenção Básica.

Dessa forma, o paciente deve apresentar documento com foto e o comprovante de residência. A equipe de reportagem do Boqnews ligou para algumas policlínicas da cidade que confirmaram a realização de testes.

Atualmente, Santos tem 12 pessoas internadas por covid-19, sendo 4 em UTI´s. A ocupação de leitos está em 19% (75 leitos), cenário bem diferente de um ano atrás, no momento em que a cidade estava flexibilizando algumas normas, depois do período de lockdown.

Médicos

A falta de testes de Covid-19 preocupa os médicos que alertam para o perigo do agravamento da pandemia. De acordo com o infectologista Evaldo Stanislau, a diminuição no número de testes dá a impressão que está tendo menos casos, mas na realidade a queda é nos diagnósticos.

“Não podemos aceitar que o paciente procure um atendimento com sintomas respiratórios e saia de lá com o diagnóstico de um resfriado ou dor de garganta. Eu repito e insisto, existem hoje tecnologias de teste muito simples, em que o resultado fica pronto na hora, não apenas para a covid-19, mas para outras doenças respiratórias”, destacou Stanislau.

O infectologista também enfatizou a possibilidade de novas variantes, sobretudo em países que não atingiram um bom esquema vacinal. Já o infectologista Marcos Caseiro salienta que a pandemia ainda não acabou e os cuidados devem ser mantidos.

“O aumento da circulação do vírus pode provocar o surgimento de novas cepas que podem ou não ser mais transmissíveis” explicou.

Marcos Caseiro enfatiza que as pessoas que estão com doenças no sistema respiratório não devem sair de casa, e se for necessário, precisam utilizar as máscaras.

Ambos os infectologistas frisaram a importância das doses de reforço no combate ao coronavírus. Afinal quanto maior proteção, menor será o risco de um caso grave.

Direitos

O advogado e especialista em direito do consumidor, Rafael Quaresma, explica que existe a obrigatoriedade das operadoras dos planos de saúde oferecerem os testes ou de cobrirem estes exames, inclusive teste rápido, desde que haja prescrição médica ou algum sintoma de síndrome respiratória para que seja realizada a cobertura.

“Existe uma resolução da Agência Nacional de Saúde (ANS) do início deste ano que determina a realização dos testes”, citou Quaresma.

A norma da ANS foi publicada no dia 19 de janeiro e a medida começou a valer imediatamente.

“Neste momento, compreendemos que a inclusão do teste rápido para detecção de antígeno pode ser realmente útil, tendo em vista que os testes rápidos são mais acessíveis e fornecem resultados mais rapidamente que o RT-PCR, por exemplo”.

“Assim, o teste de antígenos pode ampliar a detecção e acelerar o isolamento, levando a uma redução da disseminação da doença e, por consequência, a uma diminuição da sobrecarga dos serviços laboratoriais”, avaliou na época, Paulo Rebello, diretor-presidente da ANS.

Clique aqui para acessar o site

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.