Codesp (atual SPA)

Para Rosana Valle, túnel será contemplado no processo de desestatização do porto

Deputada Rosana Valle (PSB) assegurou que o presidente Jair Bolsonaro já está ciente da proposta, cuja definição será concluída entre agosto e setembro

07 de junho de 2021 - 20:13

Fernando De Maria

Compartilhe

 

Deputada federal Rosana Valle (PSB) abordou temas diversos, como os atritos com o diretório do PSB santista, projetos apresentados, ligação seca entre Santos e Guarujá, ponte dos Barreiros, VLT, entre outros tópicos. Foto: João Pedro Bezerra

 

Responsável pela audiência pública realizada na semana passada na Câmara dos Deputados, a deputada Rosana Valle (PSB) assegura que a obra do túnel ligando Santos e Guarujá fará parte do processo de desestatização da administração portuária do Santos Port Authority (SPA), antiga Codesp.

“A obra será inserida no processo de desestatização do Porto”, assegura a parlamentar, que participou do Jornal Enfoque – Manhã de Notícias desta segunda (7).

A deputada já obteve a garantia da inclusão da obra – orçada em R$ 3,5 bilhões, em valores corrigidos – do próprio ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.

“O presidente (Bolsonaro) já está ciente por meio do ministro Tarcísio. Há um consenso no setor portuário que o túnel submerso é a melhor posição”, explica a parlamentar.

O túnel integra o VLT, transporte de pedestre, ciclovia e ligaria Santos a Guarujá, a partir da perimetral do lado de Santos.

Confira o trecho da entrevista:

 

Na semana passada, o ex-presidente da Codesp e atual porta-voz do projeto Vou de Túnel, Casemiro Tércio, já havia antecipado esta possibilidade, a qual considera mais viável.  (confira entrevista abaixo)

 

Desestatização

Conforme previsão do Governo Federal, a previsão é que a proposta sobre a desestatização da administradora portuária santista seja concluída pela Secretaria Especial dos Portos entre agosto e setembro.

Confira trecho da audiência pública, com fala  do diretor de Novas Outorgas de Políticas Regulatórias Portuárias da Secretaria Nacional de Portos e Transportes Aquaviários (SNPTA), Fábio Lavor.

 

Outros temas 

Ponte dos Barreiros

A parlamentar também abordou outros temas, como as obras na Ponte dos Barreiros, ligando São Vicente à área continental.

O acordo, firmado no final do mês passado, prevê a recuperação da ponte, cujas obras começarão nas próximas semanas e serão entregues no prazo de um ano.

No entanto, não contemplam a parte da linha férrea, paralela à ponte, que servirá para a futura expansão da terceira fase do VLT – Veículo Leve sobre Trilhos.

 

PcDs

A parlamentar também abordou as inclusões na MP 1034 apresentada pelo Executivo.

Ela prevê ampliação dos valores dos veículos a serem adquiridos por portadores de deficiência, hoje limitada a R$ 70 mil para R$ 140 mil, com direito a isenções de impostos.

Além disso, a inclusão de portadores de surdez no benefício e diminuição de quatro para três anos no prazo para venda de veículos voltados a pessoas com deficiências.

“Foi uma vitória nossa, de muita luta”, enfatizou.

 

Parentes

Ela também foi confrontada por internautas de que estaria fazendo pressão para empregar parentes nas administrações públicas da região, o que refutou.

Publicidade com redes sociais

A parlamentar reconheceu que investe recursos da sua cota parlamentar – pouco mais de R$ 220 mil desde o início de mandato – para divulgação de suas realizações nas redes sociais, mas destacou que é uma das que menos gasta recursos públicos entre os 70 deputados paulistas e 513 do País.

“Estou entre os deputados que menos gastam de forma geral. Não tenho segurança, não tenho auxílio-moradia”, discorreu.

“Se computar os gastos gerais, eu estou entre os que menos gastam. Dentro os que menos gastam, eu priorizo a divulgação do meu mandato”, enfatizou.

 

 

PSB Autêntico

A respeito das críticas sofridas por integrantes do PSB, do grupo autodenominado PSB Autêntico, a parlamentar criticou a posição deles, por votar em projetos polêmicos “na visão deles”, como o do licenciamento ambiental, recém-aprovado na Câmara.

“Eles nunca me quiseram no partido”, destaca a parlamentar, que se considera de ‘centro-esquerda’ e não de ‘extrema esquerda’.

Ela se diz confortável no PSB, com apoio do presidente estadual da legenda, Márcio França, e do seu filho, o deputado estadual, Caio França.

 

Governo Bolsonaro

Sobre o governo Bolsonaro, ela reconhece pontos positivos e negativos, mas recusa a alcunha que alguns dos seus desafetos a colocam como ‘deputada bolsonarista’.

“Não vou ser uma deputada que vai abraçar o Bolsonaro ou xingar o Bolsonaro. Não foi para isso que a população me elegeu”, explicou.

 

 

Bolsonaro x Lula

Por fim, indagada se em um eventual segundo turno entre os presidentes Bolsonaro e Lula, como apontam as pesquisas hoje, ocorrer no próximo ano, Rosana foi enfática.

“No Lula não voto, nem faço campanha”.

Ainda que o PSB embarque no apoio a Lula, como ocorrera em eleições passadas.

“Espero que isso não ocorra”, resumiu.

 

Programa completo

Confira o programa completo desta segunda (7)