vida

Atente-se a alguns cuidados para o barbear deixar de ser um desafio

Fazer a barba não é bem um costume muito adorado pelos homens. Não só em razão do tempo gasto defronte…

02 de dezembro de 2011 - 19:16

Da Redação

Compartilhe

Fazer a barba não é bem um costume muito adorado pelos homens. Não só em razão do tempo gasto defronte ao espelho, mas também pelo fato deste se configurar quase que em um hábito diário e pela possibilidade de, ao término do barbear, a pele ainda ficar marcada, seja por cortes, seja por irritações. “Barbear-se é algo basicamente cultural, associado à estética e a alguma necessidade profissional, como no exército ou em alguns cargos de chefia, por exemplo. Porque o pelo está lá para ficar, e tirá-lo é como se estivesse indo contra a natureza”, destaca a dermatologista Valéria Fusari.


É possível diminuir os impactos do barbear. Segundo Valéria, é prudente observar se a pele possui qualquer tipo de saliência, como espinhas ou verrugas. “No corte da barba, essas regiões podem inflamar. Se a pessoa faz a barba com relativa frequência, é interessante tratar as saliências”, explica. Outra dica é a presença da chamada dermatite seborréica — a caspa, que pode ocorrer na pele sob os fios da barba.


Uma dica para minimizar as inflamações do barbear — as chamadas foliculites — é a utilização de géis ou loções cremosas manipulados a base de princípios ativos de ácidos. “Quando o pelo é cortado, pode se formar uma rolha córnea que impede a saída, favorecendo que ele encrave. Esses ácidos, por sua vez, trazem uma esfoliação que favorecem ao pelo encontrar essa saída”, conta Valéria — que alerta, contudo, para que a compra desses produtos se dê sob orientação de um dermatologista.


Cinco passos para a barba perfeita


1 – Com sabonete neutro, lave bem o rosto para retirar a oleosidade e resquícios de sujeira na pele. O processo também colabora para abrir os poros do rosto, colaborando para a retirada do pelo — até por isso, é recomendado que a barba seja feita logo após o banho. Antes do barbear, também é sugerido o uso de uma toalha quente, por cerca de um minuto, para amaciar os pelos.


2 – Com o creme/gel adequado a seu tipo de barba e pele, faça movimentos circulares, de baixo para cima, nas partes do rosto que serão barbeadas.


3 – Inicie o barbear retirando os pelos laterais (costeletas, face e pescoço) e depois passando a lâmina no sentido em que os pelos crescem, para evitar que eles encravem. Deixe o queixo para o fim, pois é a região em que os pelos crescem mais duros.


4 – Estique a pele durante o barbear para evitar ferimentos durante o corte. Não pressione a lâmina, efetue movimentos curtos e precisos.


5 – Ao término do barbear, use água fria para lavar o rosto e fechar os poros. Seque a face com leveza, pois a pele estará sensível. Então, passe a loção pós-barba. Certifique-se também de que a lâmina ainda está adequada para continuar sendo usada. A recomendação é de que após três ou quatro barbeadas, a lâmina seja descartada.


Fontes: “Dez passos para fazer a barba perfeita”, UOL Estilo (01.out.2009). Disponível em: http://bit.ly/poqXPo; Daniela Hueb (dermatóloga, artigo publicado no site Minha Vida)


Planos B


Há, porém, quem opte pela tradicional lâmina, por gosto próprio ou até ao metal da lâmina — ainda que, segundo Adilson Costa, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, isso não seja tão comum. Para além do barbear tradicional, existem as técnicas da cera quente e a laser. “Em relação ao laser, os pacientes não podem estar bronzeados, nem serem morenos intensos, pois nestas situações pode-se acabar queimando ou manchando a pele”, explica Costa.

LEIA TAMBÉM: