Tabagismo

Brasil terá 31,2 mil casos de câncer de pulmão em 2019

Campanha alerta contra hábito responsável por mais de 400 mortes todos os dias. Medicina Nuclear conta com tecnologia de ponta para diagnosticar e tratar a doença

28 de maio de 2019 - 09:31

Da Redação

Compartilhe

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o Brasil terá cerca de 31,2 mil novos casos de câncer de pulmão por tabagismo.

Sendo 18,7 mil casos em homens e 12,5 mil em mulheres.

O Dia Mundial sem Tabaco, celebrado todo 31 de maio, foi criado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para conscientizar a população contra esse mau hábito.

O tabagismo é responsável por mais de 400 mortes, diariamente.

No entanto, a condição, frequente em pessoas com mais de 55 anos e ex-fumantes, tem entre os fatores de risco: hereditariedade; hábitos alimentares; sobrepeso e obesidade e diabetes.

Além do tabagismo e envelhecimento.

Considerada uma doença agressiva, o câncer de pulmão exige diagnóstico precoce.

Ou seja, ajudando a garantir mais chance de cura e qualidade de vida.

Diagnóstico precoce com Medicina Nuclear

Existem exames que permitem a identificação do tumor, como a biópsia.

Mas, a Medicina Nuclear conta com exames que podem auxiliar de forma precisa a detecção da doença.

Antes mesmo de provocar alterações anatômicas.

O principal no caso do câncer de pulmão é o PET/CT.

De acordo com o médico nuclear e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear, George Barberio Coura Filho – responsável clínico da Dimen SP (www.dimen.com.br), a localização precisa das lesões, possibilita maior assertividade na escolha do tratamento.

“Quando se descobre o foco do câncer é possível tratar com métodos mais precisos, como cirurgia guiada e radioterapia.

LEIA TAMBÉM: