vida

Curso de capacitação da Santa Casa de Santos entra na fase do estágio remunerado

Um curso de capacitação profissional gratuito somado ao primeiro estágio com remuneração mensal na Irmandade da Santa Casa da Misericórdia…

20 de julho de 2010 - 16:10

Da Redação

Compartilhe

Um curso de capacitação profissional gratuito somado ao primeiro estágio com remuneração mensal na Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Santos proporcionam a 37 portadores de necessidades especiais a oportunidade de entrar no mercado de trabalho com o “pé direito”.


Esta chance só foi possível diante da disposição do hospital em se adaptar para recebe-los  por meio de parcerias com o Sindicato dos Trabalhadores da Saúde e a Congregação Santista dos Surdos.


Sob a coordenação da analista de desenvolvimento, Angela Cristina Celestrin Faustino, o grupo é composto de portadores de deficiência física, auditiva, intelectual e de baixa visão que atuam em diversos setores como faturamento, lavanderia, recepção, laboratório, elevador, auditoria, RX e Recursos Humanos.


Rafael Moura de Oliveira, Tércio Vinícius de Oliveira Dutra (ambos do Serviço de Higienização Hospitalar), Bruno da Silva Amorim (Almoxarifado) e Marina Osires Martins Pontes (Telefonia) são algumas das pessoas que contribuem para que a rotina do hospital se mantenha nos eixos.


Segundo Rafael Moura, 22 anos, portador de Síndrome de Down, está é a primeira chance no mercado de trabalho. “Nunca fiz um curso nessa área e não sabia como funcionava, por isso a experiência está sendo ótima. As pessoas daqui não têm preconceito e são sempre atenciosas. Se eu puder, quero continuar na Santa Casa, mas se isso não acontecer, estou capacitado para procurar emprego em outros lugares”.


Também estreante e colega de setor, Tércio Vinícius, 23 anos, cadeirante, se orgulha ao falar da iniciativa a favor dos portadores de necessidades. “Com certeza está sendo bom para todos nós, pois poucos lugares dão essa oportunidade”. Para se manter atualizado e garantir um emprego, ele planeja cursar técnico em Segurança do Trabalho e, para investir em seu principal hobby, quer fazer um curso para DJs.


Segunda experiência


Já Bruno da Silva, 20 anos, deficiente auditivo, que sonha em fazer Mecânica ou Engenharia Automobilística, esta não é a primeira experiência.


De acordo com a tradução da intérprete em Libras, Rejane da Silva Correia, o rapaz trabalhou três meses no almoxarifado de outro hospital, porém está empolgado com as atividades da Santa Casa de Santos. “Aqui neste setor (almoxarifado) tem muita coisa diferente. Eu auxilio na etiquetação das mercadorias, na estocagem e na parte burocrática. Não tem tempo ruim para o trabalho”.


Marina Osires, 32 anos, portadora de baixa visão, já possui bagagem profissional, porém desconhecia o dia a dia de um hospital. “Eu fiz um curso de Logística Portuária, no entanto não surgiu nada na área. Depois trabalhei por três meses na lanchonete de um hotel. Nunca pensei que faria algo voltado para a área hospitalar e que receberia ajuda de custo para isso. Com certeza está sendo uma ótima experiência e pretendo estudar mais para conseguir ficar aqui”.


Cursos


A capacitação dos deficientes auditivos teve início em março e após dois meses foram iniciadas as atividades com os portadores de deficiência física. Ambos foram divididos em fases teóricas, com aulas ministradas na congregação e no sindicato (respectivamente), e práticas, onde os alunos vivenciam o ambiente hospitalar. Para auxiliar nas despesas, a Santa Casa de Santos oferece uma ajuda de custo de R$ 400 por mês, alimentação subsidiada, vale transporte e seguro de vida.


O novo curso de capacitação está previsto para agosto e as inscrições estão abertas no setor de Desenvolvimento de Recursos Humanos da Santa Casa de Santos e devem ser feitas pessoalmente. É necessário comparecer com os seguintes documentos: RG, CPF, comprovante de residência e xerox do laudo médico ou audiometria.

LEIA TAMBÉM: