Dia mundial de luta contra as hepatites virais estimula a prevenção da doença | Boqnews
Foto: Divulgação

Saúde

23 DE JULHO DE 2014

Dia mundial de luta contra as hepatites virais estimula a prevenção da doença

Além de alertar a população sobre as doenças e estimular a prevenção, o foco da campanha deste ano é a Hepatite C

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

Nesta segunda-feira (28), acontece o Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais. Diferente da edição anterior, quando o Ministério da Saúde ampliou a faixa etária de vacinação contra a hepatite B para homens e mulheres de até 49 anos, a campanha deste ano enfoca a geração considerada como Baby Boomer, população acima de 45 anos e que foi mais exposta à hepatite C, devido à desinformação de décadas atrás.

Segundo o Dr. Evaldo Stanislau, chefe do Serviço de Controle de Infecção do  Hospital Ana Costa, esta geração, compreendida em pessoas nascidas entre 1945 e 1965 pode ter contraído o tipo C em transfusões de sangue, compartilhamento de seringas e materiais que não eram esterilizados naquela época.

Cerca de três milhões de brasileiros possuem a doença que ataca o fígado e a maioria não sabe. Conforme Stanislau, ela é silenciosa. “A enfermidade apenas pode ser detectada através do exame de sangue. Por isso, é imprescindível fazer o teste, disponível no SUS e na rede particular”, alerta.

Dr. Evaldo afirma que a hepatite C tem cura e que novos medicamentos estarão disponíveis no País. A expectativa é de que cheguem até o final deste ano ou início de 2015 para toda a população. “Estudos clínicos realizados no Congresso Internacional do Fígado, em Londres, comprovaram índice de cura de praticamente até 100%. A expectativa é de que, inclusive, a doença seja erradicada no Brasil”, informa.

Cuidados
Em território nacional, os tipos A, B, C e D são os mais comuns.  A hepatite A é geralmente transmitida pela água e alimentos contaminados. Já os tipos B, C e D são transmitidos sexualmente ou por contato com o sangue contaminado.

O tratamento para a doença é feito com medicamentos antivirais específicos para cada tipo de vírus. A vacina contra a hepatite B é encontrada em toda a rede pública de saúde.

Apesar dos grandes avanços na área médica e a chance de cura, a hepatite C não tem vacina. A melhor forma de evitar a doença é pela prevenção. É preciso adotar medidas como usar camisinha nas relações sexuais, verificar agulhas e objetos que entram em contato com o sangue e ter atenção redobrada em manicures, barbeiros e estúdios de tatuagem.

Se não tratado corretamente, o tipo C pode causar cirrose e até câncer no fígado.

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.