A importância de uma educação alimentar para as crianças | Boqnews
Divulgação

Alimentação

11 DE NOVEMBRO DE 2014

A importância de uma educação alimentar para as crianças

Veja como está o seu comportamento e confira alguns motivos e dicas que podem estar afastando os pequenos de um bom convívio com os alimentos saudáveis

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

A grande maioria dos pais culpabilizam os anúncios de fast-foods, propagandas de doces, chocolates e refrigerantes pelos responsáveis do ganho de peso dos filhos e o desejo por esses alimentos. O que muitos pais não percebem, ao reparar nos filhos uma inclinação ao sedentarismo e hábitos não saudáveis de alimentação, é que eles podem ser os responsáveis por isso.

Isso mesmo, os pais possuem um comportamento e uma má educação alimentar que irão refletir cegamente nas crianças. Veja como está o seu comportamento e confira alguns motivos e dicas que podem estar afastando os pequenos de um bom convívio com os alimentos saudáveis:

Não imponha seu gosto ao seu filho
Um erro comum é nunca oferecer determinado alimento porque os pais não gostam ou não tem o hábito de compra-lo e nem insistem em experimentá-lo, e por isso a criança não conhece o alimento.

Quem dá o exemplo é você
Pais querem que seus filhos se alimentem de forma saudável, mas não os acompanham: “Come filhão… faz bem pra sua saúde” – mas os pais não comem!

Eles precisam ser o bom exemplo e comer uma salada e verdura junto e na frente do filho. Assim verá como eles terão muito mais inspiração do que dizer que vão ficar forte que nem o Popeye, Ben10, ou algum jogador de futebol.

Quanto tempo você dedica a alimentação do seu filho?
Quanto tempo está se dedicando para a preparação de uma alimentação com o filho? A falta de tempo pode contribuir para isso, mas a saúde dos filhos precisa estar em primeiro lugar, não é mesmo? Afinal, não somos escravos do tempo…

Alimentação colorida
Como está a forma de apresentação do alimento ao seu filho? Chamativa, colorida, feliz? Lembre-se que a visão infantil é diferente da visão adulta. Que tal investir num visual nutricional mais bacana e atrativo?

Não obrigue seu filho a comer bem
A criança não se sente estimulada a comer, muitas vezes é forçada e o ato de se alimentar não se torna divertido, mas sim uma obrigação pelos pais – o modo de abordar faz toda a diferença.

Mude sua rotina
A família tem sempre a mesma rotina alimentar, tudo é muito padrão e sem novidades. Como crescer de modo saudável com monotonia e mesmice de sabores?

Apresente novas opções de alimentos
Pais não tem o hábito de adquirir uma variedade de alimentos e introduzir novas preparações, com isso os filhos conhecem poucos alimentos naturais e não precisam ir muito longe, alguns nem sabem que a cenoura é cenoura, mas conhecem bem a cara do Ronald Mc Donald!

A criança não manipula mais o alimento, não tem contato e por isso deixa de conhecer suas as características: cor, sabor, odor, textura, consistência. Muitas mães e pais não querem “bagunça” na cozinha, então a criança tem menos contato e curiosidade. A “bagunça” pode trazer resultados excelentes para a alimentação dele e de quebra, aumenta o vínculo de pais e filhos. 

Não deixe de lado os alimentos que seu filho não gostou
Após a criança ter uma noção dos sabores, ninguém oferece mais à criança o que ela não gosta. Ela começa a dominar a situação e os pais deixam de lado os outros alimentos que a criança já rejeita.

A educação alimentar precisa ser estimulada desde cedo
Na infância é que se adquirem hábitos saudáveis e muitos pais se esquecem disso. Esquecem também que nesta fase da vida, a criança necessita de muitos nutrientes, vitaminas e minerais para o seu desenvolvimentoe aprendizagem. Criança desnutrida ou carente de algum nutriente sofre de falta de atenção, é mais irritada, não consegue aprender na escola e fica instável até emocionalmente.

Como descobrir se a criança se alimenta bem?
Primeiro pergunte como anda a alimentação dos pais. Não culpe as crianças.  Elas não nascem sabendo os sabores e sua missão é apresentar isso à eles de uma forma interessante, saborosa e só então aliar o conceito de saúde: “É bom pra você, meu filho”. Mas é bom para os pais também!

O apoio especializado em alimentação e nutrição é fundamental para que o seu filho cresça saudável. Não hesite em procurar um profissional nutricionista, que pode desenvolver um belo trabalho de educacional nutricional, ajudando e estimulandoo seu filho e a família (lógico) a consumir mais alimentos naturais e a ter mais saúde, sempre!

 Fonte: http://nutrii.com.br/

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.