vida

Males de inverno

Com os dias e as noites ficando com temperaturas cada vez mais baixas, é preciso tomar alguns cuidados para evitar…

11 de junho de 2010 - 21:00

Da Redação

Compartilhe

Com os dias e as noites ficando com temperaturas cada vez mais baixas, é preciso tomar alguns cuidados para evitar doenças respiratórias, que se propagam ainda mais nesta época do ano.
“Além da queda da temperatura, Santos também é uma Cidade úmida, o que aumenta ainda mais a possibilidade das pessoas terem problemas de saúde relacionados, principalmente, à respiração”, explica o pneumologista Edison Alessio, coordenador do departamento de pneumologia do Hospital Santa Casa.


Mais comum em crianças – por não possuírem forte sistema imunológico –  e adultos que já apresentem algum problema, as doenças respiratórias devem ser levadas a sério. Caso a gripe, ou mesmo um simples resfriado, não seja tratada adequadamente a doença pode evoluir para um quadro de broncopneumonia e até mesmo pneumonia. Doença que surge por diferentes motivos e que pode levar ao óbito.


Segundo o pneumologista, a principal proteção dos pulmões é o nariz. “Quando a pessoa respira de forma correta, isto é, pelo nariz, o ar é filtrado e aquecido para, então, ir para os pulmões. Já quando a pessoa, por estar com crise de sinusite ou com o nariz entupido, só consegue respirar pela boca, o ar vai direto para os pulmões. Ele chega gelado e sem passar por qualquer filtragem, que elima impurezas.  Isso prejudica muito o pulmão, facilitando um resfriado ou uma gripe”, explica.


Gripe H1N1


O médico alerta para a gripe H1N1. Segundo ele, a gripe que já é uma pandemia por ter atravessado países, atingindo mais de 190 nacionalidades, é algo que precisa de atenção redobrada.
Cuidados como usar máscaras caso esteja em lugares com pessoas gripadas, limpar sempre as mãos e não ficar em lugares fechados com muita gente ajudam a diminuir  a possibilidade de contágio.


Só no passado, foram registrados 2.051 óbitos em todo o País. Desse total, 1.539 (75%) ocorreram em pessoas com doenças crônicas e 189 entre gestantes. Adultos de 20 a 29 anos concentraram 20% dos óbitos (416, no total) e os de 30 a 39 concentraram 22% das mortes (454, no total).


Quem tem sinusite, rinite ou asma deve ficar ainda mais atento e evitar, ao máximo, tudo que possa causar uma nova crise. Estes problemas atrapalham ainda mais a respiração. O nariz fica mais entupido e o acúmulo de constipação pode ir diretos aos pulmões”, conta.


As grávidas também merecem atenção especial, pois com o barrigão crescendo a cada mês, o espaço dos pulmões fica cada vez mais reduzido, dificultando o processo de respiração, fator facilitador para diversos problemas. Quando a grávida tem sinusite, rinite ou asma, o problema fica ainda mais delicado”, explica. 


Os que fumam também precisam estar atentos, pois o hábito de fumar destrói a camada protetora das vias respiratórias, contribuindo para que inflamações ocorram nesta parte do corpo. “Estas pessoas ficam sem a proteção que ajudam no processo respiratório, facilitando a presença de bactérias e, consequentemente, inflamações”, explica o pneumologista.


Como evitar?


Segundo o médico, simples atos podem diminuir o risco de uma crise de asma, rinite, sinusite ou até mesmo de uma gripe. Para começar, o ideal é sempre ficar em lugares arejados. Evitar tomar friagem também é essencial. Além disso, é importante estar bem agasalhado, se alimentar bem, principalmente de pratos quentes, e evitar choques de temperatura.


Algo que também deve ser evitado ao máximo, segundo o pneumologista, é dormir com cabelo molhado. “Segundo pesquisa de uma enfermeira, da qual assisti palestra uma vez, o cabelo molhado faz com o travesseiro se torne foco de ácaros e fungos”, conta.


Quem tem alergia, de acordo com Alessio, deve evitar também ter bichos de pelúcia em casa ou então deve guardá-los em sacolas transparentes para que não se tenha o contato direto com o bichinho. As pessoas também devem evitar passar por lugares que levantem muito pó, como construções ou então ficar atrás de ônibus que soltam muita fumaça. “Quando for passar por algum lugar poluído é bom ter em mãos panos umedecidos e passar de pressa por estes lugares com o pano tapando o nariz”, ensina.


O ideal é procurar tratamentos que melhorem o funcionamento do nariz, com médicos especialistas como o otorrino. Além disso, deve-se resolver o foco do problema. “Não adianta nada se entupir de remédios quando o motivo das reações alérgicas está na própria casa. Uma mãe uma vez me procurou porque sua filha não ficava boa do nariz. Em apenas fiz uma visita na casa dela observei o tapete que a criança engatinhava. Foi trocar o tapete que levantava muito pó para que a menina ficasse boa”, relembra. Pequenas mudanças,portanto, podem evitar e muito que as pessoas tenham uma nova crise e maiores complicações no inverno.

LEIA TAMBÉM: