Saúde

Mês de conscientização contra o câncer de próstata

Câncer de próstata deve atingir mais de 65 mil homens no País somente neste ano de 2020

06 de novembro de 2020 - 20:12

João Pedro Bezerra

Compartilhe

Novembro é o mês que marca a luta e a prevenção contra o câncer de próstata, doença na qual é considerada um tabu por um grupo considerável de homens que não realizam os exames que detectam o possível nódulo. Com a pandemia da Covid-19 houve uma diminuição na procura por consultas médicas. Além disso, as cirurgias também tiveram uma queda, principalmente no pico da pandemia no país. Segundo a pesquisa da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) as cirurgias diminuíram pela metade até o mês de julho.

Os dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) servem de alerta. Para 2020, são esperados mais de 65 mil casos da doença. O número de mortes por ano chega a 15,5 mil, conforme o balanço feito em 2018. Montante, aliás, equivalente à capacidade do estádio da Vila Belmiro.

Vale destacar que o câncer de próstata é o segundo mais frequente entre homens no País, ficando atrás do câncer de pele. A estimativa é que a cada nove brasileiros, um tenha a doença.

Prevenção

A próstata é uma glândula do sistema reprodutor masculino, localizado na parte do abdômen e abaixo da bexiga. Seu peso gira em torno em de 20 gramas. A função da próstata, juntamente com as vesículas seminais, é produzir o espermatozoide.

Geralmente, o câncer na próstata figura-se como uma doença que atinge os homens da terceira idade. É importante frisar que não há prevenção de forma concreta, porém com os exames de rotina diminui a incidência do nódulo se agravar.

A recomendação do exame varia com os médicos, alguns doutores e entidades citam que o exame deve ser realizado a partir dos 40 anos; já outros defendem entre 45 ou 50 anos. Contudo, independentemente da idade, é preciso que os homens busquem consultas urológicas entre 40 e 50 anos e continuem realizando o exame para o resto da vida, seguindo as orientações de seus respectivos urologistas. Quem tiver histórico na família de câncer de próstata deve ficar ainda mais atento.

O médico urologista Fábio Atz Guino ressalta que o câncer de próstata está mais ligado à parte genética e não há fórmulas para evitar a doença. Além disso, ele explicou que o tratamento varia, conforme os casos.

“Na fase inicial, quando o câncer está apenas na próstata é indicada a retirada da próstata cirúrgica ou a radioterapia. Já quando o nódulo se encontra fora da próstata, o tratamento muda, sendo preciso fazer um bloqueio hormonal para impedir a progressão da doença. Se ela avançar mesmo assim, precisamos partir para outras terapias, como a quimioterapia. No caso de pacientes com outras comorbidades, existe a conduta de avaliar a evolução da doença”, enfatiza o urologista.

Em relação aos riscos, ele destaca que na fase inicial, o câncer não traz sintomas, mas que em um nível avançado pode levar evidentemente à morte e o sofrimento dos pacientes na parte urinária, emagrecimento, fraturas e dores ósseas.

Dados

O médico urologista levantou um dado que a maioria das pessoas ainda desconhece. Segundo ele, o risco do câncer de próstata é duas vezes maior para homens negros, que são 60% mais propensos à doença, por questões genéticas.

Novembro Azul

Diversas campanhas são realizadas no Novembro Azul, assim como o Outubro Rosa, mês que marca a prevenção do câncer de mama.

As pessoas que realizam a campanha, acima de tudo buscam um maior engajamento do público para realizar o exame e ter a consciência que o câncer pode se tornar uma doença grave.

Na Baixada Santista, há diversos grupos e hospitais que fazem estas ações. Um deles é a Beneficência Portuguesa, em Santos. Devido à pandemia da Covid-19, a instituição está impossibilitada de realizar palestras e outras ações reunindo os pacientes do Serviço de Oncologia e o público em geral. Contudo, a Beneficência se adaptou à tecnologia e vai realizar na quinta (12), às 20h, será realizada uma live sobre a importância da campanha.

O evento reunirá os oncologistas Sueli Monterroso da Cruz e Hilário Romanezi Cagnacci e o presidente da Beneficência, Ademir Pestana.

Para acompanhar, bastar acessar as redes sociais do hospital. Outras ações estão sendo analisadas para ressaltar a importância do exame, seguindo os protocolos de segurança conta a Covid-19.

Além disso para conscientizar as pessoas, a Beneficência entregará aos pacientes do Serviço de Oncologia do Hospital, camisetas na cor azul (cor símbolo da campanha), bem como aos funcionários. Vale destacar que o hospital atende o SUS e convênios particulares.

LEIA TAMBÉM: