Saúde

Setembro Vermelho alerta sobre a importância dos exames preventivos do coração

Doenças cardiovasculares são as principais causas de mortalidade no Brasil e no mundo, correspondendo a cerca de 30% das mortes

10 de setembro de 2020 - 09:49

Da Redação

Compartilhe

O Dia Mundial do Coração é celebrado no próximo dia 29, mas, durante todo o mês de setembro, especialistas realizarão alertas sobre as doenças cardiovasculares, que são as principais causas de mortalidade no Brasil e no mundo, correspondendo a cerca de 30% das mortes. Durante este período, chamado de Setembro Vermelho, profissionais da área de saúde irão se empenhar ainda mais na disseminação de informações para a prevenção dessas doenças, alertando sobre os fatores de risco.

 “O propósito da campanha é diminuir a incidência das doenças cardiovasculares, que atualmente são as mais frequentes causas de morte em todo o mundo, com repercussões negativas na economia, nos indivíduos, nas famílias e nos serviços de saúde. Desde de 2015, o Setembro Vermelho faz parte do calendário oficial de datas comemorativas da Prefeitura de Santos”, informa o cardiologista e diretor da Centermed Santos, Luiz Claudio Mendes Carvalho.

Dados

Segundo o mais recente dado apresentado pelo DATASUS, a região metropolitana da Baixada Santista apresentou 4.771 óbitos por doenças do aparelho cardiocirculatório, sendo que dessas, 2.033 óbitos foram por doenças isquêmicas do coração, ou seja, aquelas que afetam as artérias do coração comprometendo a circulação sanguínea e consequentemente causando a diminuição de nutrientes e oxigênio para os músculos do coração. “A Baixada Santista ainda é uma das regiões do país com altas taxas de mortalidade cardiovascular”, lamenta o especialista.

 Outro complicador está acontecendo nos tempos atuais. Afinal, a pandemia do coronavírus afastou muitas pessoas das suas consultas de rotina, acendendo uma preocupação ainda maior aos especialistas, que alertam ser fundamental a continuidade da realização dos exames preventivos, evitando danos fatais. Além disso, o Dr. Luiz Claudio Mendes Carvalho dá um aviso muito importante aos pacientes que foram diagnosticados com Covid-19.

 “Como nos casos de infecção pelo coronavírus os pacientes podem evoluir com complicações, como, por exemplo, infarto do miocárdio, miocardite, que é uma inflamação do músculo cardíaco, insuficiência cardíaca ou arritmias cardíacas, é fundamental que, mesmo os assintomáticos, procurem o seu cardiologista para realizar uma avaliação com exames de imagem e, se for o caso, realizar um tratamento adequado”, ressalta.

Controle dos fatores de risco e atendimento rápido

O elevado índice de óbitos relacionados às doenças cardiovasculares está relacionado à falta de uma prevenção cardiovascular adequada, cujos inúmeros fatores de riscos, como, por exemplo, a hipertensão arterial, o diabetes mellitus, o tabagismo, a obesidade e o sedentarismo estão diretamente relacionados. Por isso, é fundamental cultuar hábitos saudáveis e, regularmente, realizar o checkup da saúde.

Além disso, outro ponto importante que pode salvar vidas é saber reconhecer de maneira precoce os sintomas do Infarto Agudo do Miocárdio e buscar ajuda médica. “Muitas vezes o indivíduo sente dor no peito, falta de ar ou até mesmo uma dor de estômago e fica aguardando algum tempo até procurar ajuda. Assim, essa espera pode ser fatal”, afirma o especialista.

Nos pacientes atendidos nas primeiras três horas, os índices de mortalidade são de 2% a 3%, enquanto que em pacientes apresentados mais tardiamente ao controle médico, esse número pode superar os 30%. “Quanto mais rápido for reestabelecido o fluxo da artéria coronária ocluída (aquela que leva ao infarto), mais rapidamente a circulação coronariana voltará ao normal, levando oxigênio e nutrientes para a área infartada e, com isso, reduzindo o dano ao músculo cardíaco”, explica o médico cardiologista e diretor do Instituto Santista de Hemodinâmica, Dr. Luiz Cláudio Mendes Carvalho.

Sintomas mais comuns de um infarto Agudo do Miocárdio:

  • Dor no peito com irradiação para o braço, costas e pescoço;
  • Pode vir acompanhada de suor, náuseas, vômitos, falta de ar e ansiedade;
  • Em mulheres, idosos e diabéticos, os sintomas podem ser falta de ar, cansaço, sensação de indigestão e fraqueza.

Recomendações para um coração saudável:

  • Tenha hábitos saudáveis, como não fumar, ter uma alimentação saudável, praticar atividades físicas regularmente, controlar o stress e reduzir a ingestão de álcool;
  • Realize check ups cardiológicos regularmente, com foco na prevenção.

LEIA TAMBÉM: