vida

Transporte valioso

Implantado em 2005, o programa TFD – Tratamento Fora de Domicílio é pouco conhecido de parte da população santista. O…

29 de setembro de 2008 - 07:11

Da Redação

Compartilhe

Implantado em 2005, o programa TFD – Tratamento Fora de Domicílio é pouco conhecido de parte da população santista. O serviço visa ajudar as pessoas que necessitam de especialidades médicas encontradas somente em hospitais de São Paulo e do interior.

O TFD concede aos usuários do SUS (Sistema Único de Saúde) auxílio financeiro e transporte gratuito aos pacientes que precisam de terapia em cidades localizadas a 50 quilômetros de Santos. Essa é a distância mínima para que o serviço seja utilizado.



O médico Heitor José Tavares de Oliveira, chefe do departamento de Atenção Especializada da Secretaria de Saúde de Santos, fala das principais características do programa. “Se não tivermos o tipo de atendimento que o paciente necessita, temos que garantir o tratamento da doença em outra cidade que possua a especialidade dentro do SUS. Isso é previsto por uma portaria específica do Ministério da Saúde. Os municípios devem cumprir a determinação e oferecerem as condições para que o serviço ocorra”.

Estrutura

O TFD em Santos é feito por três veículos tipo van, com capacidade para 16 passageiros cada um. Eles fazem viagens diárias em dois horários distintos, às 5 e 9 horas. Os pontos de encontro ocorrem nos prontos-socorros da Zona Leste, Zona Noroeste e Central, além da estação rodoviária da Cidade.

Em casos especiais, alguns pacientes são buscados na própria casa. Aqueles que não precisam de acompanhantes ou têm condições de locomoção, a Secretaria de Saúde fornece passagens rodoviárias para os locais de tratamento.

Segundo o médico, foram disponibilizadas mais de 2.400 passagens somente no primeiro semestre de 2008. Para receberem os repasses financeiros, os pacientes têm que prestar contas e são acompanhados por assistentes sociais da Prefeitura.

Atualmente, uma média de 75 viagens são realizadas mensalmente pelas vans do TFD. “Desde que o programa foi instituído no Município, já foram beneficiados aproximadamente mil pessoas. Hoje, temos cerca de 260 munícipes cadastrados e utilizando este serviço”.

Destinos

O programa percorre roteiros que abrangem centros considerados referências em tratamentos de câncer, hemodiálise e anomalias craniofaciais. O Hospital Centrinho de Bauru, o Hospital da Unicamp, o Hospital de Barretos, o Hospital dos Olhos de Sorocaba e os hospitais das Clínicas e do Câncer, ambos em São Paulo, são os principais destinos do serviço usado pelos santistas.

Usuários

Oliveira ressalta que este serviço não é de uso indiscriminado. Ele explica que existem critérios e regras para sua utilização. “As Unidades Básicas de Saúde são a porta de entrada do serviço municipal. Em seguida, os pacientes são encaminhados para o Ambulatórios de Especialidades. Se o médico especialista identifica um problema sério e que não pode ser tratado na Cidade, a central de vagas estadual aponta o local ideal para o tratamento. Depois deste diagnóstico, o doente pode contar com o TFD de forma regular e gratuita”, conclui.

LEIA TAMBÉM: