Fitness

Ballet Fly

Modalidade fitness que combina acrobacias aéreas do circo com a dança será inaugurada neste sábado, 1º, no Estúdio Rebecca Chiatti

27 de agosto de 2018 - 17:14

Da Redação

Compartilhe

No próximo sábado, 1º de setembro, o Estúdio Rebecca Chiatti, em Santos, inaugura uma aula que já é um sucesso na capital paulista – o Ballet Fly, modalidade fitness que combina acrobacias aéreas do circo com a dança. A aula, que acontece em tecidos suspensos, promete tonificar a musculatura e queimar até 500 calorias de forma divertida.

Rebecca Chiatti, dona do estúdio em Santos que vai receber a modalidade, explica que foi buscar no Ballet Fly uma opção que proporcionasse ao público da região mais prazer e diversão durante a prática da atividade física.

“A proposta do estúdio é fazer com que o praticante melhore sua qualidade de vida através do prazer da prática. Assim, buscando uma atividade que te proporcione bem-estar e felicidade, por isso temos uma grade bem diversificada”.

No dia 1º de setembro, o Estúdio Rebecca Chiatti fará uma série de atividades abertas ao público. No entanto, elas também serão inauguradas junto com o Ballet Fly. “Às 9h, teremos Judô; às 11h, Ritmos, às 15h, Pole Dance; e às 16:30, Ballet Fly”.  Para as aulas da manhã o público pode participar sem agendamento prévio.

Já o Pole Dance e o Ballet Fly, devido ao uso dos equipamentos, as vagas serão limitadas para a aula inaugural.

Assim, para participar, entre em contato pelo WhatsApp (11) 95878-1235. O Estúdio está localizado na Rua Bassim Nagib Trabulsi, 150, Ponta da Praia.

Sobre o Ballet Fly

O método foi desenvolvido pela especialista Letícia Marchetto. Assim, combinando as técnicas do circo com o ballet de forma lúdica e divertida.

O Ballet Fly é ótima opção para quem quer cuidar do corpo e da mente de um jeito diferente. Pois melhora o bem estar, a resistência física e o tônus muscular, aumenta a massa magra e promove benefícios que vão para além da sala de aula.

No entanto, a modalidade ainda proporciona o aumento da consciência corporal e da coordenação motora; melhora da postura, por conter exercícios de alinhamento; trabalha o alongamento; queima entre 300 e 500 calorias e ajuda na redução de medidas; proporciona condicionamento cardiovascular; libera endorfina, promovendo a sensação de bem estar durante e após a aula; desenvolve a criatividade, diminui a ansiedade, tensões e o stress; e melhora do sistema Vestibular: giros, saltos e instabilidade, deixam seu organismo mais rápido na adaptação.

Além do trabalho aeróbico, também é possível substituir a musculação pelo Ballet Fly, se o objetivo não for a hipertrofia. Entretanto, apesar de aumentar o tônus muscular e definir a musculatura de braços e pernas, não ocorre o aumento de volume dos braços. O que é uma grande preocupação dos praticantes.

A preocupação com as linhas do movimento faz com que o praticante estimule, além da contração concêntrica, também a contração excêntrica. Em outras palavras, no Ballet Fly não se trabalha com o encurtamento dos músculos. E eles fazem muita força mesmo quando estão alongados. Essa elasticidade, combinada ao alinhamento da técnica, reduz riscos de lesões.

Por haver essa junção das modalidades, o Ballet Fly é considerado uma atividade completa. Na dança, se usa a força das pernas e dos pés para movimentos ágeis e precisos, assim como nas acrobacias aéreas que é preciso usar os braços, abdômen e costas. Contudo, não para por aí! Em ambos, a expressão corporal, o alinhamento, a coordenação motora, a consciência e controle do movimento são desenvolvidos pelos praticantes.

Todavia, outra vantagem da modalidade é que não precisa ter feito ballet ou algum tipo de dança para praticar o Ballet Fly. “Nele, o aluno aprende os movimentos etapa por etapa e por isso pessoas que nunca dançaram e mesmo quem não pratica atividades físicas pode fazer e evoluir com segurança”, orienta Letícia Marchetto.