Futuro

Câmara Municipal discute proibição de cavas subaquáticas na região

Além da cava subaquática, os vereadores discutirão cessão do Centro de Atividades Turísticas para a iniciativa privada

29 de outubro de 2019 - 14:01

Da Redação

Compartilhe

Localizada no canal de Piaçaguera, entre Santos e Cubatão, a cava vêm gerando polêmica após o desastre de Brumadinho. Foto: Divulgação/VLI

 

Será votado nesta terça-feira (29), na Câmara Municipal, a proibição de cavas subaquáticas no município.

O projeto de lei nº 22/2019 salienta a proibição, a disposição e a deposição de resíduos tóxicos e de sedimentos contaminados ou com potencial contaminante com produtos, substâncias e compostos químicos, orgânicos ou inorgânicos, no solo, em águas, leitos e cavas subaquáticas, no âmbito do Município de Santos e dá outras providências.

A proposta de lei é do vereador Francisco Nogueira.

Alguns vereadores já se mostram favoráveis ao veto de cavas na região.

Relembrando o caso

No começo do ano após a tragédia de Brumadinho, as forças políticas regionais voltaram a atenção ao assunto ambiental.

À época, circulavam nas redes sociais boatos que possíveis acidentes aconteceriam na região, logo desmentido pela VLI (empresa responsável pelo empreendimento).

Vereadores, deputados e até munícipes se prontificaram de pedir a retirada do empreendimento, localizado no canal de Piaçaguera.

Nada fora realizado, no entanto.

A VL! se prontificou de acalmar a população a respeito de possíveis acidentes ambientais. Segundo eles, os sedimentos depositados na cava estão confinados e seguros.

“Nos últimos anos, a empresa monitora a qualidade da água, dos sedimentos e a avifauna da região e esse trabalho é permanente”, ressalta.

Confira as posições da VL!, Cetesb e dos vereadores neste link.

 

Mais votações

Não é apenas o futuro da cava subaquática que está em jogo.

O destino do Centro de Atividades Turísticas (CAT), também será votado.

Em primeira discussão, os vereadores aprovaram a cessão do imóvel para a iniciativa privada.

Na última semana,  16 votos votaram positivamente, 2 vereadores se abstiveram e 2 foram contrários.

Nesta terça (29), os parlamentares votarão, em segunda discussão, a aprovação da cessão.

LEIA TAMBÉM: