cidades

Cidade se mobiliza para atender famílias vítimas de incêndio

Diversos setores da prefeitura e da sociedade civil estão mobilizados para auxiliar as famílias que perderam moradias e pertences no…

11 de maio de 2010 - 23:32

Da Redação

Compartilhe

Diversos setores da prefeitura e da sociedade civil estão mobilizados para auxiliar as famílias que perderam moradias e pertences no incêndio sem vítimas ocorrido na tarde de segunda-feira (11) na Vila Telma (Rádio Clube). De acordo com levantamento, os 125 imóveis destruídos faziam parte do total de 5.400 moradias irregulares a serem erradicadas em conformidade ao Plano Municipal de Habitação.


A ação emergencial desenvolvida pela prefeitura envolveu mais de 200 funcionários. O incêndio atingiu uma área de cerca de 20 mil m² da favela, que tem sua origem no final da década de 80. Logo que o fogo começou, a Defesa Civil, a Administração Regional da Zona Noroeste e a Guarda Civil se mobilizaram no apoio ao Corpo de Bombeiros.


Ao mesmo tempo, técnicos da Secretaria de Assistência Social providenciaram espaço na Escola João Inácio de Souza, próxima ao local, para onde os moradores dos imóveis incendiados foram encaminhados. Ali eles puderam se acalmar: tomaram um lanche e receberam as primeiras orientações dos assistentes sociais.


O prefeito João Paulo Tavares Papa, que foi à escola e ao núcleo atingido, explicou aos moradores as providências imediatas: concessão de auxílio-aluguel de R$ 300,00 por família, instalação de alojamentos e acompanhamento social.


O total de 204 famílias foi cadastrado, e a maior parte se abrigou na casa de parentes e amigos. Outras foram transferidas para o Centro Comunitário São José, também no Rádio Clube. Nesta terça (11), 29 pessoas permaneciam no local, onde receberam colchonetes, cobertores, alimentos e artigos de higiene.


O dia seguinte
Nesta terça (11), durante a limpeza da área do incêndio, foram removidos cerca de 12 toneladas de materiais, com o suporte de dois caminhões basculantes e uma retroescavadeira. Os Cras (Centros de Referência da Assistência Social) do Rádio Clube (Caminho São Sebastião, 16, Casa 2) e do Bom Retiro (Rua Alderico Monteiro Soares, 46) passaram a concentrar os trabalhos de cadastramento e atendimento aos moradores.


Uma reunião aconteceu entre o prefeito e secretários de várias áreas para definir ações emergenciais. Além do auxílio aluguel, da preparação de alojamentos e do fornecimento de cestas básicas, ficou definida uma campanha de arrecadação de alimentos não perecíveis, água, roupas de cama e banho, cobertores e produtos de higiene pessoal (inclusive fraldas), que devem ser enviados para à sede do Fundo Social de Solidariedade (Avenida Conselheiro Nébias, 388). Emissoras de TV e a Diocese de Santos também promovem campanhas de arrecadação.


“Em Santos, 5.400 famílias vivem em situações idênticas as das afetadas pelo incêndio. A cidade tem projetos que regularizam em definitivo tais situações, incluídos no programa Santos Novos Tempos, que erradicarão estas submoradias”, afirmou o prefeito.


Segundo o projeto do governo, os moradores da Vila Telma serão transferidos para o conjunto a ser construído no prazo de 18 meses na Caneleira. A obra deve ser iniciada no máximo em duas semanas – pois já está licitada e aprovada, aguardando apenas uma autorização da Caixa Econômica Federal. Para evitar que submoradias sejam reconstruídas na área incendiada, a prefeitura está isolando o local, que manterá sob fiscalização.

LEIA TAMBÉM: