Estado desapropria dois imóveis em Santos para expansão do VLT | Boqnews
Foto: Google Maps/Divulgação

Rua Campos Melo

25 DE JANEIRO DE 2019

Estado desapropria dois imóveis em Santos para expansão do VLT

São dois imóveis localizados na Rua Campos Melo que serão desapropriados para futura expansão da linha 2 do VLT, que irá para o Centro.

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

O governador em exercício Rodrigo Garcia assinou na quarta (23) decreto que declara de utilidade pública dois imóveis da Rua Campos Melo, no Macuco, em Santos.

As informações constam da página 3 do Diário Oficial do Estado de ontem (24).

Tratam-se de um prédio residencial – com oito apartamentos – e uma casa, localizados nos números 485 e 483, respectivamente, da via.

O primeiro com 414,13 m2 e o segundo, com 112,93 m2 a serem desapropriados.

A soma atinge 427,06 m2.

Pelo decreto a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo – EMTU fica autorizada a iniciar, com caráter de urgência, o processo judicial de desapropriação para a futura interligação dos trechos 1 e 2 do VLT – Veículo Leve sobre Trilhos.

A segunda fase do VLT irá percorrer a Rua Campos Melo em direção ao Centro – Valongo e retornará pela Rua Constituição, Luiz de Camões e Avenida Conselheiro Nébias.

 

Pelo decreto, imóveis da Rua Campos Melo serão desapropriados para futura expansão da linha 2 do VLT. Decisão surpreendeu moradora. Foto: Google Maps/Divulgação

Troca de telhado

Proprietária do imóvel no número 483, Gisele Gomes Carvalho ficou surpresa com a medida.

Ela disse que havia obtido informações junto à CET, que atua em conjunto com a EMTU na implantação do novo modal.

Na ocasião, fora informada que não haveria qualquer desapropriação no imóvel.

“Gastei recentemente R$ 35 mil para a reforma do telhado”, salientou.

Seu imóvel tem 475 m2 e está para ser locado.

No entanto, a área a ser desapropriada, conforme o decreto, representa 1/4 do total.

 

Outro lado

A EMTU confirma a desapropriação dos imóveis.

Em nota, o órgão informa que o decreto nº 64.086/2019 refere-se à desapropriação de imóveis em área de interligação dos trechos Barreiros–Porto (em operação) e o futuro trecho Conselheiro Nébias–Valongo do VLT.

O próximo passo é o ajuizamento das ações.

A segunda etapa do VLT da Baixada Santista envolve a ligação entre Conselheiro Nébias e Valongo, em Santos.

Terá 8 km de extensão e 14 estações de embarque.

Segundo a EMTU, a sessão pública para a entrega das propostas da licitação de contratação de obras dessa ligação está prevista para o próximo mês.

O início das obras ocorrerá no primeiro semestre deste ano.

O prazo estimado em 30 meses para execução.

Os sistemas e subestações de fornecimento de energia estão contratados para essa ligação e os veículos já estão disponíveis para a futura operação.

O investimento previsto nessa etapa do empreendimento é de R$ 280 milhões com recursos do Governo do Estado de São Paulo.

Há financiamento da Caixa Econômica Federal, por meio do PAC Mobilidade.

A estimativa é de que sejam transportados por dia 70 mil passageiros.

Isso levando em consideração o trecho Barreiros (São Vicente) a Porto de Santos  já está em operação.

Atualmente esse trecho é operado por 12 VLT’s.

Em conjunto com o segundo trecho em Santos haverá no total de 22 veículos em circulação.

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.