Política

Eleições podem ter data alterada

Contágio do coronavírus no País pode mudar o dia das eleições e também a visão dos candidatos

23 de maio de 2020 - 09:00

João Pedro Bezerra

Da Redação

Compartilhe

Em meio à pandemia da Covid-19, muitas pessoas se esqueceram que 2020 é ano eleitoral, com votações para prefeitos e vereadores. E as eleições, por enquanto, continuam marcadas para 4 de outubro no primeiro turno.

Porém, as articulações dos políticos já começaram há algum tempo apesar da crise atual.

Os pré-candidatos estão fazendo campanha indiretamente nas redes sociais, com postagens de interesses públicos.

Coincidência ou não, prefeitos da região que tentam a reeleição flexibilizaram o comércio, como Guarujá e São Vicente, seguindo um critério oposto ao governador João Dória e o prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, cujo mandato se encerra no final do ano.

No entanto, o cenário político pode ser totalmente alterado.

Na terça-feira (19) o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM) sinalizou a possibilidade das eleições serem adiadas.

“O presidente Davi Alcolubre, do Senado, vai construir um grupo junto com a Câmara para que nós possamos discutir a questão da data da eleição, se nós vamos mantê-la no mesmo dia ou se a decisão do Parlamento será de modificá-la dentro do próprio mandato para uma outra data”, ressaltou Maia.

Além disso, o deputado enfatizou que existe um consenso entre os líderes para o adiamento.

Dessa forma seria necessário criar uma PEC com alteração na Constituição. A ideia é prorrogar as eleições para o fim de novembro e começo de dezembro.

Próximas Etapas

Sem nada decidido por enquanto, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) manteve o calendário com critérios importantes que devem ser cumpridos no próximo mês, como a divulgação do total de eleitores por município, a disponibilidade do montante de recursos disponíveis no Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) e o prazo final do fim de programas apresentados ou comentados por pré-candidatos na televisão ou na rádio.

Cenário

De acordo com o cientista político Fernando Chagas, qualquer análise eleitoral neste momento é precipitada e inconclusiva, pois a pandemia do coronavírus causou ruptura em todos os setores da sociedade.

“De todo modo, os candidatos às prefeituras que participaram das últimas eleições nacionais têm mais chances nesta disputa eleitoral, porque são bem conhecidos dos eleitores e seus nomes ainda estão gravados na memória dos cidadãos”.

O cientista político também explicou que nestas eleições será determinante para o candidato, uma visão totalmente diferente do passado, com prioridade às áreas de saúde, assistência social, educação e também um nove plano urbano para o Município.

LEIA TAMBÉM: