Audiência virtual define se funcionários da Prodesan entrarão ou não em greve | Boqnews

Sindicato

19 DE SETEMBRO DE 2020

Audiência virtual define se funcionários da Prodesan entrarão ou não em greve

Em estado de greve, funcionários da Prodesan ameaçam cruzar os braços caso não tenham reajuste. Empresa diz pandemia impede dar aumento agora.

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT-SP) realiza nesta segunda (21), por meio de videoconferência, a partir das 15 horas, audiência de instrução e conciliação entre o Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil (Sintracomos) e a Prodesan.

Caso não haja acordo, os 1.200 empregados da Prodesan poderão entrar em greve.

A empresa cuida da limpeza das 30 policlínicas do Município, além do Paço Municipal e do novo Mercado de Peixes na Ponta da Praia.

No encontro virtual, será apresentada a proposta conciliatória.

O sindicato reivindica reajuste nos salários e benefícios em 2,46%.

Segundo o presidente do Sintracomos, Marcos Braz de Oliveira, o Macaé, esse é o percentual da inflação acumulada entre maio de 2019
e maio de 2020.

“É o mínimo que podemos aceitar”, diz o sindicalista. “Menos que isso é perversidade”, acrescenta.

O sindicalista enfatiza que a Prodesan chamou o sindicato apenas em duas negociações, quando anunciou a impossibilidade de reajustas os salários.

E enfatiza que já encerrou os acordos coletivos de trabalho deste ano com todos os segmentos empregadores da categoria, como polo industrial e construção civil, restando a Prodesan.

Até a Codesavi, similar a Prodesan em São Vicente, fechou acordo com reajuste de 4,48% na data-base de fevereiro.

“Isso é uma vergonha para Santos”,
finaliza.

 

Outro lado

Em nota, a presidência da Prodesan informa que atendeu o sindicato em três reuniões, onde foi explicado à entidade a impossibilidade de atender o pleito de reajuste salarial neste momento, devido ao estado de calamidade pública do Município, em razão da pandemia de covid-19.

No entanto, a pauta ficaria em aberto para ser discutida em outra ocasião mais adequada.

A Prodesan – empresa de economia mista, cujo principal acionista e cliente a Prefeitura de Santos – destaca que vem pagando rigorosamente em dia todos os salários de seus funcionários, inclusive aqueles afastados por serem grupo de risco ou terem comorbidades, e que não estão realizando home office por tratarem-se de profissionais braçais, que só podem desenvolver suas atividades de forma presencial.

A presidência destaca ainda que até o momento não foi oficializada sobre a intenção ou realização de greve de seus funcionários.

 

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.