Luto

Santos perde educadora e ex-vereadora Suely Morgado

Vereadora por três legislaturas consecutivas (1997 a 2008), Suely Morgado era defensora dos direitos humanos e lutava por melhorias na educação e cultura

17 de dezembro de 2020 - 22:32

Da Redação

Compartilhe

Faleceu no final de tarde desta quinta (17), a educadora e ex-vereadora de Santos, Suely Morgado, 74 anos.

Ela estava internada desde o dia 11 de dezembro na Santa Casa em Santos, onde encontrava-se na UTI.

No entanto,  sofreu quatro paradas cardíacas e não resistiu.

Nascida em Americana, no interior paulista, Suely foi diretora de escola, chefe de departamento da Secretaria de Educação de Santos até ser eleita vereadora por três mandatos consecutivos (1997 – 2000), (2001 – 2004, onde foi 1ª secretária da Câmara no biênio 2003/2004) e 2005-2008.

Apesar de não ter não nascido em Santos, tinha uma paixão pela cidade que a acolheu, assim como a Educação, área profissional que escolheu.

Seus projetos focavam, em especial, as lutas por direitos humanos, sendo responsável por liderar ações para a criação do Plano Municipal de Direitos Humanos, além das áreas de Educação e Cultura.

Foi a responsável pela criação do Dia da Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro, hoje feriado municipal.

E também participou diretamente da luta do empréstimo do imóvel na antiga Estação Sorocabana, que hoje abriga o Fórum da Cidadania, no Campo Grande.

Recebeu também o título de Cidadã Santista em 2012.

 

Suely Morgado: luta pelos direitos humanos, educação e cultura. Foto: Divulgação-arquivo

Homenagens

Nas redes sociais, vários colegas prestaram homenagem à educadora e ex-vereadora.

O jornalista Helder Marques, que trabalhou em seu gabinete, relembrou “o ser humano especial que ela era”.

“Uma parlamentar firme, mas de fala doce e coração enorme. Seus mandatos foram pautados pela defesa dos direitos humanos, educação e cultura”, lembra.

Sua companheira de partido (PT) e também vereadora Cassandra Maroni lamentou o falecimento da colega e relembrou episódios da época quando ambas ocupavam mandatos no Legislativo.

“Fui companheira da Suely na Câmara e sou testemunha do muito que esta cidade lhe deve em reconhecimento.

Seja na área de educação, seja na defesa dos direitos da mulher santista, ou na luta contra a discriminação racial ( o feriado da Consciência Negra em Santos foi projeto dela) no envelhecimento saudável e tantos outros projetos dela, Santos lhe deve muito!

Para se ter uma ideia da sensibilidade e coragem dessa mulher, relato um episódio quando visitamos a cadeia feminina em Santos.

Suely, como presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Camara, me arrastou para visitar essa cadeia, junto com outras representantes de grupos de mulheres.

Um lugar horrível, condições péssimas, superlotação de mulheres. Barra.

 

Passou mal

Ela ficou tão passada quando lá entrou, e com sua sensibilidade sempre à flor da pele passou mal. Não se conformava, visceralmente, que um ser humano fosse submetido a essas condições. Contudo, não recuou. Mesmo arrasada com o que via, não arredou pé enquanto não ouviu uma por uma das mulheres presas reclamando e reivindicando. Passou depois muito tempo arrecadando absorventes e outros produtos para higiene para entregar a elas.

Era meu contraponto: meu estilo agressivo de intervenção tinha o contraponto da suavidade dela, na mesma causa com estilo diferentes, juntas. Eu vociferando e falando palavrões e ela doce e “ santinha” sempre me contendo..

Saudade grande, Suely! Nunca te esqueceremos! Vá em paz procurar o descanso que vc merece!”

Velório

O velório será realizado nesta sexta (18), das 13h30 às 15 horas, na Santa Casa. O enterro será no cemitério da Areia Branca, às 15h30.

 

LEIA TAMBÉM: