Sonhos

Pandemia trouxe adaptações aos sonhos

A pandemia da Covid-19 adiou muitos desejos e projetos, porém as pessoas se adaptaram ao novo momento

22 de maio de 2020 - 16:11

João Pedro Bezerra

Da Redação

Compartilhe

O mundo inteiro tem o sonho que a pandemia do novo coronavírus termine o mais rápido possível. A concretização deste desejo é a criação de uma vacina, com possibilidade de imunização para todas as pessoas.

Na última semana, houve uma boa notícia no combate a Covid-19. Uma vacina em estágio inicial aplicada nos Estados Unidos obteve resultados positivos em oito pacientes voluntários. Apesar do grande avanço ainda é cedo para assegurar a total eficácia da droga.

Assim, enquanto não há previsão da volta ao normal, muitos sonhos foram adiados ou precisaram ser cancelados. Porém, por mais que existam barreiras sempre é possível realizar o desejo.

Susie Cristo e Maycon Evangelista estavam com o casamento marcado. A ideia era fazer a cerimônia, a comemoração e uma viagem para a lua de mel em Arraial do Cabo, no Rio de Janeiro, neste mês.

Contudo, o avanço do coronavírus no País e as determinações de isolamento social do governo fizeram que os planos fossem alterados. Dessa forma, eles realizaram apenas o casamento no civil no dia 16 de maio e um almoço especial só para as pessoas que moram na mesma residência.

De acordo com Susie, os planos foram remarcados, mas a felicidade continua a mesma. “Foi diferente, mas ao mesmo tempo maravilhoso. Uma sensação única: ficamos extremamente alegres por conseguir manter o casamento no civil. Estamos juntos há 4 anos e tínhamos planejado para se casar na mesma época de namoro e noivado”. A história de amor terá o próximo capítulo daqui a um ano, quando os recém-casados planejam aproveitar a lua de mel.

Casamento foi mantido na pandemia, seguindo protocolo de restrições

Viagens adiadas

Quem estava com uma aventura marcada, também precisou alterar os planos. O professor e biólogo Andreth Oliveira havia planejado sua primeira viagem longa com a namorada, marcada para julho aos estados de Tocantins e Maranhão.

Com as passagens compradas desde janeiro, ele ainda estuda a possibilidade da companhia aérea prorrogar a validade ou optar pelo ressarcimento.

Todavia, o biólogo, com mais de 30 viagens no currículo, pretende seguir com os planos para julho de 2021, quando estará de férias.

Andreth Oliveira em Canion Fish Tiver na Namíbia, viagem aconteceu em 2018

Estudantes

Se há um grupo que certamente teve os planos alterados foram os estudantes. A prova disso é o desespero de muitos alunos do último ano do Ensino Médio, que estão passando por dificuldades nos estudos para o vestibular.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) divulgou no começo do mês uma pesquisa feita pela TC Kids Online 2019.

Os dados mostram que 4,8 milhões de crianças e adolescentes das faixas etárias de 9 a 17 anos não têm acesso à internet no Brasil.

Por essas circunstâncias houve uma pressão enorme de estudantes, professores e parte de políticos para o adiamento do ENEM. O movimento teve resultado e o órgão alterou a data em 30 e 60 dias. Os exames seriam em novembro

Os inscritos terão que responder uma consulta no portal do ENEM onde irão escolher qual a nova data.

Os universitários também estão em uma situação difícil e precisaram alterar seus respectivos projetos. A estudante de Arquitetura, Carolinne Batista, iria usar dados do Censo 2020 para um embasamento maior no Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), que tem como proposta uma projeção de escola para crianças autistas em Santos.

Como o Brasil não dispõe de dados sobre o autismo, Carolinne precisou utilizar levantamentos não oficiais. Ela optou por pesquisar os números em entidades e instituições que tenham credibilidade. Além disso, as entrevistas para o trabalho acadêmico estão sendo feitas de forma virtual.

Já a estudante de Jornalismo Mariana Saitta precisou mudar o tema do trabalho pela falta de viabilidade do projeto em tempos de pandemia.

A estudante Carolinne Batista dedica grande parte do dia ao seu trabalho acadêmico

Esportes

Atletas do mundo todo tiveram seus sonhos adiados. Os Jogos Olímpicos de Tóquio foram transferidos para 2021. Mas podem ser mudados novamente.

A preparação feita ao longo dos anos precisou ser ainda mais cuidadosa para que os atletas cheguem em alto nível na disputa das seletivas, pois em boa parte das modalidades as competições classificatórias estavam marcadas para março e abril deste ano.

O nadador paralímpico da Unisanta, Carlos Farrenberg, que conquistou a medalha de prata nos jogos do Rio em 2016 nos 50 metros livres da categoria S13 N, explicou que poucos atletas estão conseguindo voltar aos treinos na piscina.

Dessa forma, ele está fazendo a preparação física em casa e pretende voltar aos treinos em breve, visando as seletivas com desejo de trazer mais uma medalha para o Brasil em Tóquio no próximo ano. Se nada mudar até lá.

Carlos Farrenberg coleciona medalhas em torneios sul-americanos e mundiais ao longo da carreira