Pipas causam mais de 1.600 interrupções de energia na Baixada Santista em 2021 | Boqnews
Foto: Divulgação

Alta de 10,15%

18 DE JANEIRO DE 2022

Pipas causam mais de 1.600 interrupções de energia na Baixada Santista em 2021

Entre as cidades da região com mais ocorrências em 2021, São Vicente lidera o ranking com 844 casos, seguida de Praia Grande com 302 ocorrências.

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

Um levantamento da CPFL Energia, em todas as cidades atendidas pela CPFL Piratininga, identificou crescimento de 10.1% nas ocorrências de pipas na rede elétrica em 2021.

Esse número passou de 2.707 em 2020 para 2.982, em 2021.

Alta de 10,15%.

Apenas nas cidades da Baixada Santista, os casos chegaram a 1.620 no último ano, mostrando que o isolamento social não impediu a brincadeira de pipas e, consequentemente, transtornos à rede elétrica.

Outro fato importante é que os casos não se concentraram durante os meses de férias escolares, como em outros anos, e tiveram números expressivos também em abril, maio, junho, agosto e setembro.

Entre as cidades da região com mais ocorrências em 2021, São Vicente lidera o ranking com 844 casos, seguida de Praia Grande com 302 ocorrências.

Confira as cidades das regiões com mais interrupções causadas por pipas na rede elétrica em 2020 e 2021:

 

Município        2020         2021

São Vicente       709                844

Praia Grande    409                302

Guarujá              135                236

Santos                  98                171

Cubatão               58                 67

Retirada de pipas por técnicos da CPFL.

Segurança sempre

Por meio da campanha Guardião da Vida, a CPFL Piratininga prioriza a segurança com a população e traz dicas de conscientização constantemente para evitar acidentes com a rede elétrica.

Entre os assuntos, estão os perigos de brincadeiras com pipas próximo às subestações e às redes elétricas.

A CPFL reforça que as pessoas nunca busquem as pipas caídas em locais com equipamentos de energia, que podem causar acidentes e até morte.

Um brinquedo inofensivo que traz transtornos quando utilizado de forma inadequada, podendo provocar acidentes graves e até fatais e corte no fornecimento de energia.

Muitas pipas ficam enroscadas nos fios e causam interrupções nos meses seguintes.

Isso ocorre porque a linha e a estrutura da pipa, enrolada nos cabos elétricos, se tornam condutoras de energia quando chove.

Dessa forma os desligamentos e os acidentes causados pelas pipas podem ser evitados com alguns cuidados simples, indicados pela campanha Guardião da Vida.

Assim, é importante escolher um local longe da fiação elétrica, como campos abertos e parques, fugindo do entorno de rodovias ou das avenidas de intenso movimento, onde também podem acontecer atropelamentos.

Não tente resgatar uma pipa enroscada na rede elétrica, pois além de provocar desligamentos no fornecimento de energia pode causar acidentes, com vítimas fatais.

Ou seja, o ideal é soltar pipas longe da rede elétrica.

Se acontecer de o brinquedo ficar preso em um fio, a melhor atitude é dá-lo como perdido.

Confira dez dicas básicas da CPFL Piratininga para uma brincadeira mais segura:

 

– Empine pipas longe de rede elétrica, em locais onde não exista nenhum tipo de cabo de energia;

– Dê preferência a espaços abertos como praças, parques e campos de futebol para usar o brinquedo;

– Evite também soltar pipas em canteiros centrais de ruas, avenidas ou rodovias, locais onde existe fluxo de veículos;

– Nunca use cerol ou a linha “chilena”, eles são proibidos por lei (Lei Estadual – Nº 12.192, de 2006);

 

Assim, evite também as “rabiolas”, pois elas enroscam nos fios elétricos, desligando o sistema, podendo provocar choques elétricos, muitas vezes fatais;

Assim, não utilizar papel alumínio na confecção da pipa, pois é perigoso, este material pode provocar curtos-circuitos;

Dessa forma, caso a pipa enrosque nos fios, não tente soltá-la. O melhor a fazer é desistir do brinquedo;

Ou seja, nunca tente resgatar ou remover uma pipa com canos, bambus, ou lançar o brinquedo na rede elétrica com uso de linhas. Essas atitudes podem representar sério risco à vida;

Dessa forma, não solte pipas em dias de chuva, com incidência de descargas atmosféricas (raios). Ela funciona como pára-raios, conduzindo energia;

Além disso, não se deve subir nas lajes das casas para empinar a pipa.

Nesse caso, além de se aproximar da rede elétrica, qualquer distração pode causar uma queda.

Confira essa e outras dicas em: https://guardiaodavida.com.br/.

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.