Cuidados

Piscinas devem ser tratadas para evitar larvas do Aedes

O uso de lonas para cobrir uma piscina sem uso, por exemplo, pode ajudar a evitar larvas do mosquito

04 de março de 2016 - 09:41

Da Redação

Compartilhe

Proprietários de imóveis com piscinas sem uso devem mantê-las tratadas e cloradas, a fim de evitar o desenvolvimento de larvas do mosquito Aedes aegypti. O alerta é da Secretaria de Saúde de Santos (SMS), que ao detectar risco nos locais durante as vistorias de rotina e nos mutirões, aplica larvicida e orienta o dono a limpar e depositar cloro ao menos uma vez por semana.

No caso de piscina com água de aparência turva, a cloração deve ser mais acentuada, explica Marcelo Brenna, chefe da Seção de Controle de Vetor da SMS. “Há piscinas tratadas com cloro que são escuras devido à concentração de diversos detritos, como poeira, areia e folhas. Nesses casos é preciso colocar mais cloro do que o indicado no rótulo do produto. Se ela estiver hiperclorada, não oferece risco, pois a substância impede o crescimento do vetor e elimina larvas”, afirma.

Piscinas em uso, tratadas e com nível de cloração adequada estão isentas de se transformar em criadouro.

Lonas
A SMS também recomenda cobrir a piscina com lona, mas é preciso tomar cuidado para não acumular água da chuva sob a capa protetora. Ela deve estar fixa e, em casos de chuva, deve ser limpa e recolhida. “É preciso pelo menos cinco dias para o desenvolvimento larvário, por isso é importante manter a limpeza da lona”, reforça.

Outra alternativa é colocar uma câmara de pneu ancorada no meio da piscina, abaixo da lona, de modo que o meio fique mais alto para a água da chuva escoar. Também é preciso se atentar ao encaixe da escada da piscina, para evitar acúmulo de água. A orientação é depositar cloro ou introduzir uma esponja no local.

Piscinas em desuso
– O proprietário é obrigado limpá-la e mantê-la tratada e com cloro;
– A SMS aplica larvicida se constatado risco no local;
– Piscinas com água escura, mas hipercloradas, não apresentam risco;
– O cloro impede o desenvolvimento de larvas do Aedes;
– Lonas podem ser utilizadas, mas deve-se tomar cuidado para não acumularem água de chuva.

Saiba mais
=> Escada – Depositar cloro ou inserir uma esponja no buraco que encaixa a escada da piscina;
=> Piscinas infláveis – Devem ser usados produtos adequados para esse tipo de piscina. Em desuso, a recomendação é esvaziar ou desmontar e guardar o equipamento seco em local coberto;
=> Aquário doméstico – O ideal é que esteja com peixes. Em desuso, deve estar totalmente vedado ou mantido seco, caso contrário será um potencial criadouro;
=> Obras – Em situações de obras paralisadas com água acumulada no subsolo e/ou poço de elevador, a SMS coloca peixes larvofagos (peixinho do canal/ barrigudinho) para comer larvas de mosquitos, inclusive do Aedes.

LEIA TAMBÉM: